logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

UFPR/ITTI executa nova gestão ambiental de empreendimento rodoviário

transplante-mudas_reduz
Transplante de mudas realizado pelo ITTI. Imagem: ITTI

Em cooperação com Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a Universidade Federal do Paraná, por meio do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI), deu início a execução de mais uma gestão ambiental de um empreendimento rodoviário. Dessa vez o trabalho será desenvolvido durante a implantação e revitalização da BR-135 BA/MG, entre os municípios de Barreiras/BA e Manga/MG.

Durante as obras, a UFPR/ITTI será responsável pela supervisão de ações que reduzam danos que eventualmente possam ser causados à natureza e às pessoas. “Nosso trabalho será dividido entre a supervisão e a execução de programas ambientais, ou seja, alguns desses programas são de responsabilidade da empreiteira que estará executando a obra. Já outros programas ficarão por nossa conta”, explica o biólogo Durval Nascimento, coordenador das equipes de campo.

Manutenção da fauna e da flora

O trabalho está concentrado no Lote 5, entre a divisa de Minas Gerais e o município de Côcos/BA, e no Lote 7.2, entre o Distrito de Monte Rei, em Juvenília/MG, e o município de Montalvânia/MG. Em campo as equipes já deram início ao Programa de Proteção à Flora e ao Programa de Proteção à Fauna, que contêm os Subprogramas de Monitoramento e Controle de Supressão de Vegetação, de Salvamento de Germoplasma e Afugentamento e Salvamento de Fauna Silvestre.

“O objetivo é minimizar os impactos sobre a flora, por intermédio do manejo de árvores para áreas em que não haverá desmate, do resgate das sementes e produção de mudas. Objetivando a continuidade da biodiversidade local”, explica Leonardo Treml, engenheiro florestal.

A equipe do ITTI analisou a área que será afetada pela implantação da rodovia, verificando a existência de animais e ninhos. A partir desses trabalhos, houve a liberação de áreas para o início da atividade de supressão de vegetação.

Comunidade

O Programa de Educação Ambiental (PEA) também já deu início as atividades com os trabalhadores das obras no Lote 5 e no Lote 7.2. Os encontros serão realizados uma vez por mês com o objetivo de conscientizar os trabalhadores sobre questões ambientais e, assim, tentar diminuir os impactos negativos das obras nessas regiões.

atividade-de-educacao-ambiental_reduz
Imagem: ITTI

“São nessas atividades que podemos fazer os trabalhadores entenderem a responsabilidade que possuem com os recursos naturais, como as águas, o solo, a fauna e a flora local, e também com a comunidade que está sendo impactada pela instalação da rodovia. São planejados trabalhos em grupos, dinâmicas e outras atividades que os faça refletir sobre essas questões para que passem a tomar posturas mais proativas em relação ao meio ambiente”, conta a bióloga Camila Cantarelli, responsável pelo PEA.

Para esclarecer as dúvidas da população diretamente afetada pela obra, os programas de Comunicação Social e Educação Ambiental organizaram uma série de reuniões comunitárias em Côcos/BA e Montalvânia/MG, assim como nos povoados desses municípios, no Distrito de Monte Rei e no Povoado de Lajeado, em Juvenília/MG.

Jeito Novo de Viver

A implantação e revitalização da rodovia anunciam uma mudança para melhor na vida dos moradores da região abrangida pelo empreendimento. “Será uma nova rodovia, com mais segurança, menos poeira, mais facilidade de acesso entre os municípios e melhores condições de tráfego”, ressalta o professor Eduardo Ratton, superintendente do ITTI.

Além disso, a BR-135 BA/MG será um importante corredor de transporte rodoviário, especialmente para o escoamento da produção agropecuária dos estados do Maranhão e Piauí, ligados à Bahia e a Minas Gerais pela Rodovia.

Com informações da Assessoria de Comunicação do ITTI.

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...