logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

UFPR/ITTI doa a educadores de Mato Grosso do Sul livro sobre “Boas práticas ambientais”

Doação dos livros em MS. Foto: arquivo ITTI
Doação dos livros em MS. Foto: arquivo ITTI

O “Caderno de Boas Práticas”, publicação que reúne atividades socioambientais desenvolvidas pela UFPR/ITTI junto às populações dos municípios de Anastácio, Miranda e Corumbá, em Mato Grosso do Sul, se encontra à disposição nas Secretarias de Educação das cidades envolvidas. Cada município tem direito a uma cota de 250 exemplares do livro, para distribuir em sua rede municipal de ensino.

Com o material impresso em mãos, professores e articuladores poderão mais facilmente reproduzir o conhecimento junto aos alunos e população das cidades que participam do Programa de Educação Ambiental (PEA), que integra o projeto “BR-262 – Faço parte deste Caminho”, desenvolvido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). O trabalho, apresentado agora no livro, foi realizado entre 2011 e 2012, e integra a Gestão Ambiental da BR-262/MS contratada pelo DNIT e executada por profissionais Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura da UFPR.

A publicação da UFPR/ITTI reúne diversas atividades práticas aplicadas pelos articuladores nas comunidades, de acordo com as necessidades de cada local. Traz, por exemplo, a experiência de construção de uma horta suspensa utilizando garrafa PET, terra, EVA, tesoura, cola, papel e sementes, atividade realizada na Escola XV de Outubro, em Miranda. Apresenta, também, a oficina de reutilização de materiais recicláveis, em Corumbá, e a Campanha Ambiental: Reduza, Recicle e Reutilize o Lixo, em Anastácio.

Processo

Com o objetivo de promover a cidadania, O PEA fez um diagnóstico sobre a situação ambiental das localidades e selecionou profissionais da educação locais, chamados de articuladores, para desenvolvimento das atividades. “Essas pessoas passaram por uma formação continuada à distância subsidiada pelo projeto e com encontro para discussão coletiva dos temas abordados. Em seguida, os articuladores adaptaram o conhecimento às suas realidades e aplicaram na comunidade”, explica Danielle Tortato, gerente do PEA.

No final, todos os trabalhos foram reunidos e expostos para a comunidade. Agora, as experiências obtidas podem ser compartilhadas com mais pessoas por meio do “Caderno de Boas Práticas”, que reúne materiais selecionados entre os vários que foram executados na época. Danielle explica que a publicação é quase um manual que mostra como cada trabalho foi desenvolvido e foi aplicado na comunidade. “O livro é uma forma de disseminar essas ideias e multiplicar o conhecimento”, ressalta.

Doação dos livros

Doação dos livros em MS. Foto: arquivo ITTI
Doação dos livros em MS. Foto: arquivo ITTI

Em Anastácio, a entrega foi feita no gabinete do prefeito Douglas Melo Figueiredo e contou com a participação de funcionários da Secretaria Municipal de Educação. Em Miranda, a doação foi formalizada na Secretaria Municipal de Educação. No município, as atividades ocorreram nas escolas municipais XV de Novembro e Pilad Rebua, essa última localizada na Aldeia Indígena Passarinho.“Profissionalmente foi uma grande riqueza para nós que somos aqui do interior. A gente tem muita teoria, mas a prática a gente vai adquirindo e quando a gente faz a prática, não tem o registro e agora aconteceu. Assim podemos mostrar para as pessoas o que é feito no município”, comenta a professora Elite Bernadino da Silva, que na época das ações era coordenadora da Escola Municipal XV de Novembro.

A última doação ocorreu em Corumbá e foi recebida pela secretária de Educação, Roseane Pires, e por funcionários da secretaria, que estavam ansiosos pela publicação. “É muito engrandecedor profissionalmente porque a gente consegue visualizar o que foi feito em campo e vê que a educação chega até a comunidade”, comemora Vânia Sabatel, engenheira agrônoma, que foi articuladora.

BR-262 – Faço Parte deste Caminho

O Projeto de Gestão Ambiental das Obras de implantação de acostamento e revitalização na rodovia BR-262/MS, entre Anastácio e Corumbá, é realizado pela UFPR por meio do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura. A parceria é realizada em cooperação com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), com o objetivo de cumprir as condicionantes para a manutenção das licenças emitidas pelo órgão ambiental. Como gestora, a UFPR/ITTI supervisiona e executa Programas Ambientais no empreendimento, entre eles o Programa de Monitoramento de Atropelamento de Fauna, realizado desde 2011.

Programa de Educação Ambiental

O Programa de Educação Ambiental (PEA) é um importante instrumento para a implantação de empreendimentos rodoviários, ferroviários e hidrovias que, de alguma forma, afetem o meio ambiente e, por consequência, a qualidade de vida das populações. O PEA possibilita ao indivíduo e à coletividade se perceberem como sujeitos sociais capazes de compreenderem a complexidade da relação sociedade-natureza, agindo em prol da prevenção de riscos e danos socioambientais causados por intervenções no ambiente.

Assessoria de Comunicação Social, com informações do ITTI

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...