logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

UFPR participa da XXII Jornada de Jovens Pesquisadores da AUGM

Parte da delegação da UFPR em frente ao Congresso Nacional do Chile, na abertura do evento. Foto: ARI - UFPR

 

Uma delegação da UFPR participou da 22ª edição da Jornada de Jovens Pesquisadores da AUGM. A Associação de Universidades Grupo Montevidéu (AUGM) é uma rede de universidades públicas de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai que desenvolvem atividades de cooperação.

O objetivo da Jornada de Jovens Pesquisadores é divulgar os melhores trabalhos de pesquisa, de graduação a doutorado, das universidades que participam do Grupo. O evento aconteceu entre os dias 29 de setembro e 1º de outubro, na Universidade de Playa Ancha (UPLA), na cidade de Valparaíso, no Chile.

A delegação da UFPR foi composta por uma aluna de doutorado em química, cinco alunos de mestrado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção e 14 alunos de graduação em várias áreas.

Os trabalhos apresentados na Jornada são divididos em áreas temáticas, e a Universidade que sedia o evento pode definir um novo tema para a sua edição. Dessa forma, a UPLA aceitou também trabalhos com a temática “Pensamiento, Investigación Científica e Innovación como desafio para las Sociedades de América Latina”.

“A área com maior concentração de trabalhos, tanto na delegação da UFPR quanto no evento em geral, foi a área de meio ambiente”, disse Antonio Marcos Severino, da Assessoria de Relações Internacionais da UFPR e secretário dos programas da AUGM na Universidade, que também participou da Jornada.

 

Apresentações orais

Duas alunas da UFPR foram selecionadas pela UPLA para fazer uma apresentação oral de seus trabalhos: Ana Beatriz Schikowski, aluna de mestrado em Engenharia Florestal, que levou seu trabalho “Dinâmica do Estoque de Carbono em Floresta Ombrófila Mista no Paraná, Brasil”, da área de meio ambiente; e Maria Helena Verdan, doutoranda em química, que apresentou o “Estudo químico de Sinningia leucotricha guiado pela atividade antiproliferativa contra linhagens de células tumorais humanas”, na área de Produtos naturais Bioativos e Aplicações.

Essa foi a segunda vez que Ana Beatriz participou da Jornada. Em sua pesquisa, foi feita uma quantificação do carbono contido nas árvores de uma floresta com araucárias no Paraná em dois períodos distintos, o que mostrou que a floresta ainda está em crescimento. Com esse resultado, o estudo concluiu que é possível fazer no local um projeto de REDD – Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal, que remunera ações que mantenham florestas em pé, evitando a liberação de carbono na atmosfera.

“O evento foi importante para divulgar internacionalmente a pesquisa realizada na Universidade, especialmente com um assunto tão polêmico e contraditório hoje em dia, como as mudanças climáticas. É bacana destacar o papel das florestas nesse cenário.”, avaliou Ana Beatriz, que faz parte do laboratório Biofix (Centro de Excelência em Pesquisas sobre Fixação de Carbono na Biomassa), da UFPR.

 

Premiações

Ao fim da Jornada, são premiados 27 pôsteres e 27 apresentações. Um dos pôsteres premiados foi o do aluno de graduação em Matemática da UFPR, Lucas Lamy, que apresentou seu trabalho “Análise matemática de um modelo para quimioterapia do câncer”, na área de Matemática Aplicada.

Nesse trabalho, o aluno usou equações diferenciais para modelar o crescimento de células normais e de células tumorais. Assim, é possível fazer um estudo matemático do comportamento dessas células, que permite conhecer as condições para que um tratamento seja bem sucedido ou não.

Para Lucas, a premiação foi uma surpresa. “Ela serve de motivação para continuar o trabalho duro nos desafios que virão no mestrado que pretendo cursar”, disse Lucas, que está no último período da graduação.

Antonio Marcos Severino também recebeu uma menção pelo seu trabalho desenvolvido com a AUGM durante o ano, junto com outros quatro delegados assessores e técnicos administrativos de outras universidades.

A UFPR faz parte há 17 anos da AUGM, que foi criada em 1991. “Esse é o projeto mais antigo de mobilidade acadêmica da UFPR. A Universidade participa das Jornadas desde que entrou na AUGM”, disse Antonio Marcos Severino.

Por Helen Mendes

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...