logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

UFPR obtém patente de invenção nos Estados Unidos

 

Imagens do diagnóstico (crédito arquivo pessoal)

A Universidade Federal do Paraná acaba de obter a patente de uma invenção nos Estados Unidos. Trata-se de um material que permite detectar a presença de agentes infecciosos. A invenção é resultado de uma colaboração entre a UFPR, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Fundação Oswaldo Cruz, o Instituto de Biologia Molecular do Paraná e Instituto Carlos Chagas. As pesquisas começaram em 2007 e tiveram o apoio do CNPq.

O objetivo da pesquisa foi o desenvolvimento de novas tecnologias para diagnóstico de doenças causadas por microorganismos que fossem relevantes para a saúde pública. O material desenvolvido, que pode ter a forma de microesferas (beads) ou filamentos, é composto por material polimérico inerte que após modificação de sua superfície permite detectar a presença de diferentes agentes infecciosos.

De acordo com o professor Cyro Ketzer Saul, do Laboratório de Inovação em Tecnologia de Sensores da UFPR e um dos inventores dessa tecnologia, as estruturas produzidas pelo processo desenvolvido no Brasil apresentam grandes vantagens em relação aos produtos existentes no mercado atualmente. O material facilita os diagnósticos e a obtenção de resultados mais rápidos nos exames, além do baixo custo da matéria prima e elevada produtividade da técnica. “O material, em si, já existia, mas conseguimos fazer de uma forma mais simples e eficiente”, explica ele.

A patente do procedimento, intitulado “Process for Producing Polymeric Structures That Have Activated Surfaces and Activated Polymeric Structures” foi depositada inicialmente no Brasil e depois em outros seis países (Estados Unidos, Canadá, Coréia, União Europeia, Hong Kong e China). Apenas a dos Estados Unidos já foi aceita até agora. Ainda assim, as perspectivas são bastante positivas: já existe uma empresa multinacional interessada em desenvolver a tecnologia.

O procedimento já foi detalhado em artigos científicos publicados em periódicos internacionais. Quem quiser saber mais sobre aspectos científicos da pesquisa pode acessar os links:

http://pubs.rsc.org/en/content/articlelanding/2015/tb/c4tb01884b#!divAbstract

http://pubs.rsc.org/en/content/articlelanding/2016/tb/c6tb01435f#!divAbstract

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...