logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Projeto Viva movimenta o pátio da Reitoria

 

Vania Ozorio apresenta repertório latino durante o Projeto Viva - foto Rodrigo Juste Duarte.
Vania Ozorio apresenta repertório latino durante o Projeto Viva - foto Rodrigo Juste Duarte.

Na última sexta-feira, 21/02, atividades culturais marcaram o lançamento do Projeto Viva. A iniciativa da UFPR, por meio da Pró-reitoria de Admnistração (PRA), tem o objetivo de divulgar diversos projetos voltados à comunidade acadêmica em temas como saúde, mobilidade, meio-ambiente e cidadania. Ao final do evento foi anunciado um convênio entre a universidade e a Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba (SETRAN).

Na última sexta-feira, 21/02, atividades culturais marcaram o lançamento do Projeto Viva. A iniciativa da UFPR, por meio da Pró-reitoria de Admnistração (PRA), tem o objetivo de divulgar diversos projetos voltados à comunidade acadêmica em temas como saúde, mobilidade, meio-ambiente e cidadania. Ao final do evento foi anunciado um convênio entre a universidade e a Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba (SETRAN).

O projeto surgiu da necessidade de reunir as diversas iniciativas que são desenvolvidas na universidade, buscando uma maior difusão entre estudantes, técnicos e docentes. O Pró-reitor de Administração, Álvaro Pereira de Souza, explicou a origem do programa. “O projeto deu seus primeiros passos em 2010 quando fizemos o Conselho de Segurança na PRA, que trouxe uma visão mais ampla da comunidade da universidade. A partir daí vários programas foram se juntando ao projeto”.

Durante o dia foram realizadas diversas atividades como shows de música, apresentação de teatro e campanhas de conscientização. Também foi oferecido conserto de bicicletas aos participantes.

Integração à cidade

Ao final das atividades o reitor da UFPR, Zaki Akel, e a Secretária de Trânsito, Luiza Simonelli, anunciaram um convênio para atuação conjunta das duas instituições para melhoria do trânsito da cidade e integração da universidade.

Reitor Zaki Akel Sobrinho fala sobre convênio entre a Secretaria Municipal de Trânsito e UFPR, no Projeto Viva - foto Rodrigo Juste Duarte
Reitor Zaki Akel Sobrinho fala sobre convênio entre o SETRAN e a UFPR ao lado Secretária Municipal de Trânsito, Luíza Simonelli, e Pró-reitor de Administração Álvaro Pereira de Souza - foto Rodrigo Juste Duarte.

O acordo prevê o suporte técnico da universidade em relação ao trânsito e planejamento urbano. A UFPR já conta com projetos que podem dar contribuições importantes para a cidade como o Núcleo de Psicologia do Trânsito e estudos sobre Engenharia de Trânsito. Além disso, está sendo estudada a implantação de uma especialização lato sensusobre o tema para ajudar na formação de profissionais qualificados na área.

A contrapartida da secretaria vai se dar em relação à estrutura da universidade e sua integração à cidade. Este tipo de parceria já vem acontecendo em menor escala, como na implantação de recuos para a parada da linha de ônibus Intercampi , que tem trazido mais segurança para os estudantes e motoristas, o trajeto do ônibus também foi otimizado.

Segundo Souza, o convênio é importante para integrar a universidade ao tecido urbano, “Em vários momentos é preciso uma atuação conjunta entre nós e o município”, completou. Um desses casos é a previsão de mudança de localização da estação tubo que atende o campus Jardim Botânico, que deve ser instalada dentro da universidade, o objetivo é aumentar a segurança dos estudantes, mas para isso é preciso uma série de estudos que serão facilitados pela parceria.

O reitor agradeceu o trabalho da PRA e lembrou do papel da universidade na formação do cidadão. “Esta universidade é o maior celeiro de licenciaturas do Paraná, são professores que vão atuar diretamente na formação do cidadão, é por isto que precisamos trazer as questões do cotidiano para dentro da universidade.” Também lembrou da importância do convênio, “hoje somos uma cidade dentro de Curitiba, uma comunidade de mais de 40 mil pessoas, precisamos nos integrar à cidade.”

Ciclovida – bicicleta como solução

Oficina de bicicletas, consertos oferecidos durante o Projeto Viva - foto Rodrigo Juste Duarte.
Oficina de bicicletas, consertos oferecidos durante o Projeto Viva - foto Rodrigo Juste Duarte.

Uma das iniciativas do Projeto Viva é chamar atenção da comunidade acadêmica para o uso da bicicleta como opção de transporte. Durante o dia os participantes do evento puderam fazer pequenos consertos e conhecer as vantagens de uso deste meio de transporte por meio do grupo Ciclovida da UFPR.

O Ciclovida começou a ser desenhado em 2002, com algumas ideias e ações ainda limitadas, vindo a ser oficilizado em 2008. O grupo tem o objetivo de envolver cada vez mais pessoas com a cultura de uso da bicicleta. Segundo José Carlos Belotto, um dos articuladores do projeto, “é preciso combater a cultura do que chamamos de ‘carrismo’, que promove o carro como símbolo de status e coloca este meio de transporte como o único modal possível. Essa lógica foi adotada pelos planejadores urbanos o que acabou atraindo mais e mais carros”.

O programa também busca estimular a pesquisa na UFPR, tentando sensibilizar a academia a estudar assuntos relacionados ao tema, monografias e dissertações de mestrado já foram estimuladas pelo programa. Além disso, o evento “Desafio-intermodal”, promovido pelo grupo, passou a fazer parte das disciplinas de “cidade e meio-ambiente” do curso de Arquitetura e Urbanismo e da disciplina de “engenharia de tráfico” das engenharias. O desafio verifica todo ano na hora do rush qual o meio de transporte mais eficiente para um trajeto de 10km no centro da cidade.

Durante as atividades os visitantes podiam usar o simulador desenvolvido pelo Ciclovida – disponível no site  http://www.ciclovida.ufpr.br/ – onde, informando a distância entre a casa e o trabalho e quantas vezes por semana pretende usar a bicicleta, o sistema retorna informações como a economia que se tem, a quantidade de poluentes que se evita jogar na atmosfera e as calorias a mais que seriam consumidas com a atividade. Também mostra as informações se 10% dos motoristas fizessem o mesmo.

Conserto de bicicletas
O Projeto Viva também contou com conserto de bicicletas para a comunidade universitária, consertos simples que não requerem peças eram feito gratuitamente, consertos mais complexos custavam entre R$ 4,00 e R$ 6,00. A inicitiva foi uma parceria entre a Bicicletaria Cultural e a UFPR, que subsidiou parte dos custos dos consertos.

A Bicicletaria Cultural surgiu em 2011 buscando ser um espaço para o ciclista no centro da cidade. Segundo Fernando Rosenbaum, um dos proprietários, não havia estimulos na região central para os ciclistas, “nós participávamos de várias iniciativas para promover o uso da bicicleta, como as bicicletadas e o festival Arte Bicicleta e Mobilidade [evento de promoção da cultura da bicicleta] mas não havia nada no centro da cidade que dissesse: ‘Seja bem vindo!’ aos ciclistas, a bicicletaria foi a resposta para essa demanda”. O local conta com estacionamento e oficina comunitária, além de um Espaço Cultural e serve como sede para a Cicloiguaçu (Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu).

Gestão ambiental
Também estão contemplados no Projeto Viva o programa Separando Juntos, parceria da PRA com a Divisão de Gestão Ambiental da Prefeitura Universitária, que visa estabelecer ações em relação à separação e destino dos resíduos gerados na UFPR. A divisão também distribuiu panfletos contra o abandono e outros tipos de maus-tratos a animais domésticos. Mais informações no site www.ufpr.br/~dga.pcu e www.zoonoses.agrarias.ufpr.br .

Segurança

Banda PM, de policiais militares, tocam pop rock educativo - foto Marcos Solivan.
Banda PM, de policiais militares, tocam pop rock educativo - foto Marcos Solivan.

A SETRAN, além de assinar o convênio, e a Polícia Militar estiveram presentes com ações de conscientização. O Cabo Gonzales que participou da iniciativa ressaltou a importância de eventos que envolvam educação no trânsito, como o Projeto Viva: “estes eventos ajudam a formar um condutor mais consciente, o que torna mais difícil que se envolva em ocorrências, isso ajuda a termos um trânsito mais seguro”. A banda PM, formada por policiais, fez uma apresentação de rock com músicas educativas durante a programação cultural.

O Projeto Viva ainda contempla ações relacionadas à segurança da comunidade acadêmica em geral, como o Projeto “Rota de Fuga”, sob as instruções técnicas do Corpo de Bombeiros. A proposta é construir, ao longo do ano, escadas para utilização em incêndios e adequações menores como a sinalização para os equipamentos de segurança.


por Rodrigo Choinski 

Sugestões

Capitães da areia é a obra do mês de agosto do Clube do Livro
A segunda temporada do Clube do Livro, promovida pelo Sistema de Bibliotecas (SiBi) da Universidade...
Projeto de extensão Ciência para Todos está com inscrições abertas para alunos da UFPR
O projeto de extensão “Ciência para Todos” está com inscrições abertas para o processo seletivo e trainee....
Projeto da UFPR oferece treinamento gratuito de futebol para meninas
Com o objetivo de trabalhar o desenvolvimento integral de meninas entre 10 e 14 anos através da prática...
Inscrições para cursos extensivos do Celin para novos alunos iniciam em 7 de agosto
As inscrições para os cursos extensivos ofertados pelo Centro de Línguas e Interculturalidade (Celin)...