logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Programa de Pós-Graduação em Fisiologia discute avanços em evento anual

Criado em 2013, o doutorado do Programa de Pós-Graduação em Fisiologia da UFPR ainda não teve defesa de teses, mas isso não quer dizer que os pesquisadores não passem por avaliações. No último dia 14 de março aconteceu o II Evento Anual do Programa de Pós-Graduação em Fisiologia, previsto no regimento interno do curso para acompanhamento dos projetos de teses e maior integração do programa junto à comunidade do setor de Ciências Biológicas.

A coordenação do programa estima que cerca de 80 pessoas participaram da mesa de discussão e das apresentações de pôsteres. “[Este evento] aumenta a visibilidade do programa na comunidade interna, promove a integração da pós-graduação com a graduação. A comunidade passa a ter conhecimento dos trabalhos desenvolvidos no programa de pós-graduação”, explica a coordenadora, Carolina Arruda de Oliveira Freire.

Além dos estudantes da pós, alunos de graduação também participaram da programação, em especial aqueles que já estagiam nos laboratórios dos docentes do programa.

A abertura do evento contou com uma mesa-redonda com a coordenadora e o professor Silvio Zanata, falando sobre o histórico e o quadro atual do programa, apresentando a produção colativa e as perspectivas de avaliação pela Capes. “O professor Zanata apresentou aspectos da avaliação pela área Biológicas II, na qual nos inserimos na capes, e provocou atitude mais pró-ativa dos alunos, dentro do quadro atual econômico e político do país, em que as oportunidades de inserção no mercado de trabalho como docente/pesquisador de instituições públicas de ensino superior são cada vez mais difíceis e raras”, conta Freire.

“Um viés do nosso programa que fizemos questão de salientar, muito rico e positivo, é a grande diversidade de áreas de atuação dos nossos docentes, de fisiologia básica e aplicada em medicina, neurofisiologia, reprodução e toxicologia, fisioterapia, a cultivo de animais aquáticos, ou nutrição de frangos, para citar algumas das linhas”, relata. Outro aspecto destacado foi a importância de pensar criativamente sobre a pesquisa de base, voltada também para resolver problemas da sociedade. “Temos ótimo potencial para isso”, afirma a pesquisadora.

O programa

O Programa de Pós-Graduação em Fisiologia da UFPR começou dentro do Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular, com a criação, em 2001, da área de concentração em Fisiologia. Em 2013, no entanto, o corpo docente conseguiu colocar em funcionamento o programa independente, o primeiro do gênero no estado do Paraná. O mestrado e o doutorado em Fisiologia na UFPR conta com cinco linhas de pesquisa: Fisiologia das Células Excitáveis, Neurobiologia, Fisiologia Renal, Fisiologia Endócrina e do Metabolismo e Fisiologia Animal Comparativa e dos Animais Domésticos.

Secretaria do programa: 3361-1588

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...