logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Produção de tilápias é tema de workshop na UFPR

3f710f_dd71b60bd580423fb43be7f9f0148fa5 (1)

Será realizado no dia 20 de maio o I Workshop Nutrição na Piscicultura, promovido por estudantes do curso de Zootecnia da Universidade Federal do Paraná. Tendo como tema “Produção de tilápias em regime intensivo”, o evento irá receber especialistas convidados no assunto. As atividades serão das 13h30 às 17h30, no anfiteatro do prédio didático do Setor de Ciências Agrárias (Rua dos Funcionários, 1540, Cabral).

Serão três palestrantes convidados a se apresentar no workshop. Primeiro irá falar o professor Wilson Massamitu Furuya, do departamento de Zootecnia da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Ele vai abordar “Exigências Nutricionais de Tilápias em Regime de Produção Intensivo”. A seguir, o engenheiro de pesca e professor Altevir Signor, da Unioeste, irá falar sobre “Digestibilidade de Rações para Tilápias em Regime Intensivo de Produção”. Por fim, João Fernando Albers Koch, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – USP/ESALQ, abordará “Experimentação em Regime Intensivo de Criação de Tilápias”.

A tilápia-do-nilo (Oreochromis niloticus) é cultivada em 22 estados brasileiros, com produção anual de 30 a 40 mil toneladas. Entre os custos de produção, destaca-se como o maior a alimentação, de 40 a 70% do custo total, podendo variar de acordo com o sistema de produção. Uma das maneiras mais eficazes dos produtores minimizarem este custo é ajustar adequadamente a qualidade das rações e o manejo alimentar às diferentes fases de produção e ao sistema de cultivo utilizado. A adequada nutrição e manejo alimentar possibilitam: o melhor aproveitamento do potencial de crescimento dos peixes, aceleram o crescimento e amplificando o número de safras anuais, entre outros benefícios.

O regime intensivo de criação de peixes em tanques-rede possui vantagens como: maior facilidade de retirada dos peixes para venda (despesca); menor investimento inicial (60 a 70% menor do que viveiros escavados); facilidade de movimentação e relocação dos peixes; intensificação da produção; facilidade de observação dos peixes e diminuição dos custos com tratamentos de doenças. Este regime tem crescido em países como China, Indonésia e Brasil, com tendência a tornar-se o mais importante sistema de criação de peixes devido as vantagens que apresenta sobre os sistemas convencionais de cultivo.

As inscrições para o workshop custam R$ 20 e podem ser feitas pelo site http://tatianetl2.wix.com/nutricaopiscicultura. Informações: (41) 9886-9183 com Guilherme ou 9717-7361, com Marley. E-mail nutricaonapisciculturaufpr@gmail.com.

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...