logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Pesquisadores estudarão as políticas públicas do SUS na saúde sexual feminina em projeto contemplado pela Capes

A Clínica de Direitos Humanos da Universidade Fedeeral do Paraná (UFPR) foi contemplada no Edital de Seleção Emergencial IV, desenvolvido pela Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O projeto escolhido vai explorar e produzir um diagnóstico sobre a atual situação das políticas públicas do Sistema Único de Saúde (SUS) que preveem cuidados em saúde sexual e reprodutiva para meninas e mulheres. Um dos focos de estudo serão os serviços especializados para a interrupção da gestação nos casos previstos em lei.

Para descrever os efeitos da pandemia de Covid-19 sobre os serviços de saúde sexual e reprodutiva, a Clínica produzirá conteúdo informativo e educativo voltado para meninas e mulheres, profissionais da saúde, sociedade civil organizada e operadores do direito. Um documentário audiovisual será lançado e capacitações técnicas estão previstas para ocorrer já a partir do próximo semestre, em 2023.

De forma articulada à pesquisa, ações de advocacy e litigância estratégica também serão conduzidas pelas pesquisadoras. Nos próximos três anos, elas vão monitorar os impactos dessas intervenções sobre o acesso de meninas e mulheres aos cuidados em saúde. O objetivo final é promover a efetividade dos direitos e políticas públicas já existentes.

Pesquisadores em evento de lançamento do Projeto. No fim deste mês, o projeto será apresentado em Brasília, em Seminário da Capes com todos os contemplados. Foto: Arquivo Pessoal

Pesquisadores de todos os níveis de formação integram o projeto que está sob coordenação geral da professora Taysa Schiocchet, com participação do professor Marcos Claudio Signorelli. Em colaboração técnica, estão envolvidos cinco programas de pós-graduação de todas as regiões do país.

“É um audacioso projeto de pesquisa de abrangência nacional, em que a UFPR centraliza a coordenação de PPGs oriundos das cinco regiões do país e de diferentes áreas do saber. Além disso, é um projeto inovador pois incorpora não apenas atividades tradicionais de pesquisa teórica e empírica, mas também ações de impacto social, mediante práticas de litigância estratégica e advocacy, de modo que os resultados do diagnóstico da pesquisa possam refletir imediatamente na sociedade, especialmente mulheres e meninas em situação de violência sexual que buscam o acesso ao aborto legal”, revela Taysa.

O edital

O PDPG – Impactos da Pandemia é o quarto edital do Programa Estratégico Emergencial de Prevenção Combate a Surtos, Endemias, Epidemias e Pandemias e recebeu 187 inscrições de propostas de todo o país, com seleção e aprovação de 40 projetos de Instituições de Ensino Superior das cinco regiões do Brasil. As pesquisas tratam dos efeitos da pandemia do novo coronavírus em diferentes áreas do conhecimento. Os projetos têm 36 meses de duração prevista, e resultados devem ser conhecidos a partir de 2023.

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...