Núcleo de Concursos aprimora vestibular de Letras Libras para ampliar inclusão na UFPR

16 dezembro, 2021
09:10
Por
0
Ensino e Educação

O esforço da Universidade Federal do Paraná (UFPR) para ser cada vez mais inclusiva mobiliza muitas áreas da universidade, e passa também por aquela que cuida da porta de entrada na instituição: o Núcleo de Concursos (NC/UFPR), responsável pelos processos seletivos para ingresso de novos alunos.  Um bom exemplo desse trabalho é o vestibular para o curso de Letras Libras, que vem sendo aperfeiçoado a cada edição, e este ano acontece no próximo dia 20 de dezembro.

Esta é a sétima edição do vestibular para o curso de Licenciatura em Letras – Língua Brasileira de Sinais (Libras), cuja primeira turma ingressou em 2015. Mas é a primeira em que o edital teve uma versão escrita específica para candidatos surdos, com ilustrações e texto mais objetivo – o que permitiu que a versão em vídeo, baseada no edital e sinalizada em Letras Libras, fosse também mais adequada para o público surdo.

Versão em Libras do edital do Processo Seletivo UFPR 2021/2022

A equipe do NC responsável pelo edital explica que até o ano passado o edital em Libras era uma reprodução do edital escrito, que tinha versão única, para candidatos surdos e ouvintes. Percebeu-se, então, que os candidatos alfabetizados em Libras tinham dificuldades para compreender algumas informações, o que transformava o edital numa barreira para o ingresso na universidade.

Como primeiro passo para implementar as mudanças, o NC preparou um guia para os elaboradores do edital, orientando-os sobre especificidades do universo surdo que deveriam ser observadas. Assim, o edital foi dividido em duas seções, uma para candidatos surdos e outra para ouvintes.

Essas mudanças são consideradas parte de um processo de ajustes que deve continuar nos próximos anos, e refletem uma preocupação que se estende para o vestibular geral da UFPR, que também tem edital em Libras e intérpretes para candidatos surdos no dia das provas, além de abranger uma série de medidas destinadas a garantir a participação de candidatos com deficiência, por exemplo.

“Nossa preocupação é garantir aos surdos a acessibilidade linguística desde a publicação do edital e também no momento da prova”, diz o professor Marcelo Porto, coordenador do curso de Letras Libras da UFPR. Primeiro professor surdo a assumir a coordenação do curso, ele diz que a prova do vestibular vem sendo aperfeiçoada desde sua primeira edição, em 2014, e hoje pode ser considerada não uma mera tradução da versão em língua portuguesa, mas efetivamente uma prova em Libras, principalmente no que diz respeito aos conteúdos específicos. A UFPR foi uma das primeiras universidades brasileiras a oferecer o vestibular bilíngue, em Libras e em Português.

Vestibular Especial Licenciatura em Letras – Língua Brasileira de Sinais / Libras. Foto: Marcos Solivan

A prova para ingresso no curso é dividida entre questões de Conhecimentos Gerais (Biologia, Física, Geografia, História, Matemática e Química), questões de Conhecimentos Específicos de Libras, Português e produção de texto, todas sinalizadas em Libras. Para os candidatos surdos, a prova de Português equivale à de Língua Estrangeira. Os candidatos ouvintes precisam escolher entre Inglês e Espanhol.

O curso

O professor Marcelo Porto conta que o curso de Licenciatura em Letras Libras formou até agora três turmas, num total de aproximadamente 50 egressos. O curso forma professores da Língua Brasileira de Sinais para a educação básica (exigência do Decreto n.º 5.626/2005), bem como tradutores e intérpretes da língua para o Português. As aulas do curso são ministradas em Libras, sem interpretação em Português – com exceção de disciplinas ministradas por professores de outros departamentos que não dominam a Língua Brasileira de Sinais (nesses casos recorre-se a um intérprete).

“Temos 10 milhões de surdos no Brasil e os alunos precisam de professores qualificados. Por isso esperamos que mais pessoas, surdas e ouvintes, venham para o curso de Letras Libras da UFPR”, afirma Marcelo Porto.

Aluna surda bilíngue forma-se em Pedagogia na UFPR, em 2017. Foto: Samira Chami Neves

De acordo com ele, a criação do curso também contribuiu para dar visibilidade à língua de sinais e à comunidade surda dentro da UFPR, ao mesmo tempo que trouxe o desafio da acessibilidade linguística. “Hoje temos apenas seis intérpretes concursados, além de alguns outros contratados. Ampliar esse quadro é um desafio, tanto para que os professores surdos possam tratar de questões administrativas e participar de reuniões quanto para permitir que os alunos frequentem todos os espaços da universidade”, afirma Porto, lembrando que, graças à política de cotas, hoje há surdos matriculados em diversos cursos da UFPR.

O vestibular para o curso de Letras Libras oferece 30 vagas, das quais 22 para candidatos surdos e 8 para ouvintes.

Sugestões

14 agosto, 2023

Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar o ambiente químico em torno […]

10 agosto, 2023

No último dia 03, aconteceu a posse da nova Direção do Setor Palotina, Gestão 2023 – 2027, com […]

09 agosto, 2023

O projeto de extensão “Pré-Vestibular Comunitário”, do setor Palotina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), está com inscrições […]

07 agosto, 2023

A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições Federais […]