Nova resolução dá mais autonomia aos colegiados de Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu e atualiza as regras

01 dezembro, 2017
13:36
Por Lais Murakami
0
Ensino e Educação

Em Sessão do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe), nesta sexta-feira (1°), os conselheiros discutiram e aprovaram nova resolução que estabelece normas gerais únicas para os cursos de Pós-Graduação stricto sensu (Mestrado e Doutorado) da Universidade Federal do Paraná.

Proposta pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), o objetivo da resolução é atualizar as normas que já vigoram (Res. nº 65/09-CEPE) tornando-as mais transparentes e atuais. Nesse sentindo, o documento concede maior autonomia aos colegiados dos programas para definir suas próprias questões e aposta na internacionalização.

O reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, destaca a importância dessa iniciativa. “Esta é uma resolução que atualiza a pós-graduação aos nossos tempos e olha para o futuro, desburocratiza muito os procedimentos e empodera os colegiados. Efetivamente estamos dando um grande passo no projeto de fazer crescer a qualidade dos nossos programas de pós-graduação stricto sensu”.

De acordo com o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Francisco Mendonça, a nova resolução atualiza a legislação tornando-a mais condizente com a realidade da pós-graduação brasileira. “A pós-graduação brasileira mudou muito e a normatização de 2009 tornou-se anacrônica no que diz respeito à cobrança externa dos órgãos avaliativos e à própria universidade”.

Um dos principais destaques da norma está relacionado à maior autonomia concedida aos programas. “Dessa forma empoderamos devidamente os colegiados que são, efetivamente, a congregação de professores e alunos, pessoas que acompanham o cotidiano da produção científica. Estamos criando uma forma para que os colegiados se articulem melhor na condução de seu trabalho”, explica Mendonça.

Outro aspecto bastante enfatizado é o da internacionalização. O documento propõe aberturas consideráveis que valorizam e amparam a internacionalização. “Não podemos continuar com a produção do conhecimento stricto sensu com amarras ou condições que não potencializem este aspecto. Sobretudo os programas de conceito 6 e 7, que somam 10 cursos, devem vivenciar de maneira mais plena a internacionalização”, afirma o pró-reitor que também vem criando e discutindo, junto à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), ações para reforçar esse item.

Em paralelo à aprovação dessa resolução, a PRPPG desenvolveu o Sistema de Gestão Acadêmica da Pós-Graduação (SIGAUFPR©), sistema eletrônico confiável e ágil que revoluciona as relações entre estudantes, laboratórios, orientadores, professores e coordenação, permitindo atuação mais dinâmica.

Democratização

Essa nova resolução surge como resultado de um amplo diálogo com a comunidade universitária que acontece há cerca de três anos. Segundo Mendonça, o documento constitui a sensibilidade da própria comunidade. “Nós recebemos muitas contribuições de professores e estudantes e pudemos aglutinar várias sugestões importantes em uma conversa com o fórum de coordenadores da pós-graduação, avançando discussões capilarizadas. Este é um processo extremamente democratizado”.

A partir da data de publicação da resolução, os 86 programas de Pós-graduação Stricto Sensu (PPGs) da UFPR terão 180 dias para adequarem seus regimentos às novas regras.

Sugestões

14 agosto, 2023

Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar o ambiente químico em torno […]

10 agosto, 2023

No último dia 03, aconteceu a posse da nova Direção do Setor Palotina, Gestão 2023 – 2027, com […]

09 agosto, 2023

O projeto de extensão “Pré-Vestibular Comunitário”, do setor Palotina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), está com inscrições […]

07 agosto, 2023

A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições Federais […]