MP determina novas regras para pagamento de adicionais

18 maio, 2012
16:00
Por leonardo
0
UFPR

Os adicionais de insalubridade, periculosidade e gratificação de Raio X pagos aos servidores federais têm, desde a última segunda-feira, dia 14, novas regras. A partir dessa data, quando foi publicada a Medida Provisória 568, o valor dos adicionais não mais se baseará em porcentagens de 5%, 10% e 20% sobre o vencimento básico dos servidores.
Agora, os valores a serem pagos para os detentores desses adicionais serão fixos e todos os que estiverem expostos ao risco mínimo receberão R$100; ao risco médio, R$180; e à máxima exposição ao risco, R$260.

A pró-reitora de Gestão de Pessoas da UFPR, Laryssa Martins Born, comenta que dois dias após a publicação da MP, houve o fechamento da folha de pagamento e as novas regras foram automaticamente aplicadas pelo Ministério do Planejamento, no SIAPE. Com isso, os esforços da UFPR com os representantes, em Brasília, não impediram que o contracheque de maio dos 2.737 servidores da UFPR, que possuem adicionais de insalubridade e periculosidade ─ 591 docentes e 2.146 técnicos administrativos ─ estivessem sobre as novas regras.

Para entender como estão sendo pagos esses adicionais na folha de pagamento, que será liberada no início de junho, a pró-reitoria exemplifica. Um servidor que tinha o salário base de R$2.594,98 e que detinha um adicional de insalubridade grau médio (10%) recebia R$259,49. Agora, explica a dirigente, este mesmo servidor receberá R$180 pelo adicional de grau médio mais a diferença, ou seja, R$79,49 através da rubrica 82.775 Vantagem Pessoal Nominalmente Identificada (VPNI) perfazendo a integralidade do valor recebido anteriormente à publicação da Medida Provisória 568, ou seja os R$259,49.

A MP estabelece ainda segundo a pró-reitora, que a VPNI será absorvida do salário do servidor e não incidirá sobre ela reajustes futuros que o docente e técnico administrativo, que se mantiver em situação insalubre, venha a receber futuramente. Os processos que forem implantados após 14 de maio já seguirão as novas regras, orienta Laryssa Martins Born.

A justificativa para esta mudança, apresentada na MP é, de acordo com o Ministério do Planejamento, aplicar um tratamento igualitário aos profissionais que atuam em condições de risco, independentemente da remuneração desses servidores.

Celsina Favorito

Sugestões

14 agosto, 2023

Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar o ambiente químico em torno […]

10 agosto, 2023

No último dia 03, aconteceu a posse da nova Direção do Setor Palotina, Gestão 2023 – 2027, com […]

09 agosto, 2023

O projeto de extensão “Pré-Vestibular Comunitário”, do setor Palotina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), está com inscrições […]

07 agosto, 2023

A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições Federais […]