Instrumentos criados por alunos do curso de Luteria são apresentados a músicos paranaenses

27 novembro, 2015
15:15
Por Juliana Marques
0
Ciência e Tecnologia
O trabalho faz parte da disciplina "Construção e Entalhe 6". Foto: Marcos Solivan

O trabalho faz parte da disciplina “Construção e Entalhe 6”. Foto: Marcos Solivan

Nesta semana, os alunos concluintes do curso de Luteria da UFPR apresentaram à comunidade instrumentos construídos por eles durante a sua formação.

A exposição aconteceu nos dias 25 e 27 de novembro, no Auditório do Setor de Educação Profissional e Tecnológica da UFPR, e teve a presença de músicos de Curitiba, que testaram e apreciaram os instrumentos.

Os 17 alunos em fase de conclusão de curso, dois deles intercambistas da Argentina e da Bélgica, criaram baixos, violões, bandolins, guitarras elétricas, uma viola caiçara e uma viola de arco.

A apresentação faz parte do trabalho de conclusão da disciplina “Construção e Entalhe”, ofertada aos alunos do curso de Luteria desde o primeiro semestre. No início do curso, eles constroem um cavaquinho, que é um instrumento menor. No segundo ano, eles escolhem uma família de instrumentos, entre violão, guitarra elétrica e violino, e seguem modelos clássicos desses instrumentos.

Já no sexto e último semestre, os alunos têm mais liberdade para escolher o projeto que vão executar. “Eles podem fazer uma réplica de um instrumento antigo, ou propor o design de um instrumento novo, fazendo modificações e mesclando projetos já existentes. Eles têm essa liberdade, por isso há essa diversidade de instrumentos aqui”, explica Thiago Corrêa de Freitas, professor do curso.

O compositor Daniel Migliavacca elogiou a qualidade dos bandolins. Foto: Marcos Solivan

O compositor Daniel Migliavacca elogiou a qualidade dos bandolins. Foto: Marcos Solivan

O bandolinista e compositor curitibano Daniel Migliavacca foi um dos músicos convidados a testar os instrumentos. Ele testou dois bandolins criados por dois estudantes, e ficou bem impressionado com a qualidade dos instrumentos. “É um privilégio e um orgulho ver o pessoal produzindo o que é a minha ferramenta de trabalho, dentro de uma universidade federal, e ver que há uma pesquisa por trás e todo um embasamento”, disse o músico.

Segundo Migliavacca, há uma grande demanda pelo trabalho de luthier. “Especificamente em Curitiba, no caso do bandolim, falta gente que faça, e que faça bem”, afirmou. “Ter gente em Curitiba que faça esse trabalho nesse nível, a coisa muda de figura. É importante para o luthier ter o músico presente explicando o que quer, e para o músico esse diálogo também é fundamental”, avaliou o bandolinista.

Veja mais fotos do evento neste link.

Sugestões

14 agosto, 2023

Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar o ambiente químico em torno […]

10 agosto, 2023

No último dia 03, aconteceu a posse da nova Direção do Setor Palotina, Gestão 2023 – 2027, com […]

09 agosto, 2023

O projeto de extensão “Pré-Vestibular Comunitário”, do setor Palotina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), está com inscrições […]

07 agosto, 2023

A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições Federais […]