logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Equipe do HC inicia triagem de pacientes que estão na fila da ortopedia da Prefeitura

Há mais de 25 mil pessoas na fila da ortopedia e o tempo médio de espera chega a 22 meses para a consulta. Foto: André Filgueira / Sucom UFPR

Começou nesta quinta-feira (6), no Complexo do Hospital de Clínicas da UFPR, o Mutirão de Ortopedia que faz parte do projeto Saúde Já da Prefeitura de Curitiba. O objetivo é fazer o atendimento prévio das mais de 25 mil pessoas que estão na fila de espera para exames, consultas e cirurgias na cidade.

Atualmente o tempo médio de espera dos pacientes que precisam de atendimento na área ortopédica é de 22 meses para a consulta, chegando a 82 meses nos casos de cirurgia de cotovelo. O objetivo do convênio entre o HC e a Prefeitura é realizar a qualificação preliminar dessas pessoas, analisando cada caso e classificando de acordo com a urgência. “Estamos analisando a fila de pacientes em um sistema de triagem. Assim podemos definir se realmente eles apresentam problemas ortopédicos e qual a urgência de cada um deles”, explica o chefe da Ortopedia do CHC, Luiz Antônio Munhoz da Cunha.

Durante o mutirão serão atendidas 30 pessoas por dia (cerca de 600 por mês) no Hospital de Clínicas, até o esgotamento da fila de espera. O atendimento é feito por uma equipe de quatro médicos ortopedistas, de segunda a sexta-feira, das 17h às 20h ,no Ambulatório SAM 8. 

A paciente Margarida da Silva sofre com problema nos joelhos devido a um acidente de moto e já está há um ano na fila aguardando por uma consulta. “Espero que a partir desse mutirão eu seja atendida o mais breve possível. Estou esperando uma orientação médica para poder realizar os exames necessários e tomar a medicação correta”, conta.

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, esteve presente no primeiro dia de mutirão e lembrou a necessidade de orientação para a população. “Para entrar no mutirão, nem sempre a pessoa precisa vir ao hospital. Ela deve procurar o posto de saúde do bairro e então será encaminhada para o hospital correto”.

O secretário municipal da Saúde, João Carlos Baracho, explica que os postos de saúde têm a listagem completa de todos os cadastrados e as equipes de saúde farão contato por meio de telefone ou de visitas domiciliares. “No caso da ortopedia são vários hospitais que estão trabalhando em ações concentradas e acelerando o processo de atendimento para que essa fila diminua consideravelmente”, diz. Os outros hospitais envolvidos com relação à ortopedia são: Evangélico, Trabalhador, Cajuru, Santa Casa, São Vicente, Madalena Sofia e Centro Hospitalar de Reabilitação.

Segundo Cunha, chefe da Ortopedia do CHC, as doenças do aparelho locomotor – membros superiores, membros inferiores e coluna vertebral – representam 70% dos casos de emergência nos prontos-socorros. “Nos postos de saúde, estima-se que entre 20% e 30% de toda a demanda estejam ligados às doenças do aparelho locomotor, sejam elas degenerativas, doenças neuromusculares ou sequelas de traumatismos antigos”, informa o médico.

Sugestões

Informativo UFPR (Destaques da semana de 07/08 a 11/08/2023) 
DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA    🧠🔭 Projeto de extensão Ciência para Todos está com inscrições abertas para...
Setor Palotina: Posse da nova direção
No último dia 03, aconteceu a posse da nova Direção do Setor Palotina, Gestão 2023 – 2027, com...
Doutoranda que criou programas para incentivar a adoção de cães é homenageada na Câmara de Curitiba 
Na manhã desta terça-feira (8), Lu Baldan, médica veterinária e doutoranda em Ciências Veterinárias na...
UFPR lamenta falecimento do professor aposentado Mauro Lacerda Santos
A Universidade Federal do Paraná comunica, com pesar, o falecimento do professor aposentado Mauro Lacerda...