logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Portadores da Síndrome pós-pólio participarão de palestra na UFPR

A síndrome pós-poliomielite, causada pelos efeitos tardios da paralisia infantil, será debatida no próximo dia 10, às 15 horas, na UFPR. Durante o encontro, peritos do INSS abordarão, além dos sintomas da síndrome, os direitos previdenciários e os benefícios por incapacidade a quem é portador dessa doença. A palestra, que é gratuita, será realizada no auditório da Prograd (subsolo do Prédio Histórico da UFPR, na Praça Santos Andrade).

Segundo a psicóloga Maria Clementina Menghini, responsável técnica do Centro de Psicologia Aplicada da UFPR, os portadores da síndrome pós-pólio têm em média 45 anos de idade, pois a doença foi erradicada no Brasil por volta de 1970. Com o passar dos anos, as pessoas que tiveram paralisia infantil apresentam quadro de fraqueza muscular, fadiga anormal, dores articulares, intolerância ao frio, alteração do sono e do humor, dificuldades para mastigar e engolir alimentos, e limitações motoras.

A psicóloga destaca também que toda última quinta-feira do mês, sempre às 17 horas, no Centro de Psicologia Aplicada/Prédio Histórico da UFPR, grupos de profissionais se reúnem para debater questões relacionadas não apenas à síndrome pós-pólio, mas também às doenças que afetam os cadeirantes e à população que utiliza bengalas e muletas.

A promoção do evento é do Grupo de Apoio da Síndrome Pós-Póio e do Centro de Psicologia Aplicada da UFPR. Mais informações podem ser obtidas no fone 41 – 3310-2614 ou pelo e-mail centrodepsicologia@ufpr.br

Celsina Favorito

en_USEnglish