logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Comissão de Ética no Uso de Animais do Setor de Ciências Biológicas emite milésima certificação

No último mês de setembro, a Comissão de Ética no Uso de Animais do Setor de Ciências Biológicas da UFPR (Ceua/BIO) emitiu a milésima certificação de pesquisa com o uso de animais. A pesquisa aprovada tem como título “Efeitos dos Polissacarídeos dos infusos de carqueja e guaco no modelo de hepatoxicidade reduzida por CCl4”. O estudo, realizado pelos Departamentos de Farmacologia e de Bioquímica e Biologia Molecular, é conduzido pelas professoras Lucimara Mach Cortes Cordeiro, Alexandra Acco, e pelos doutorandos Pedro Felipe Pereira Chaves e Eliana Rezende Adami.

A comissão existe desde 2003, antes ainda da regulamentação Federal pela Lei Arouca – 11794/2008, que estabelece as normas para o uso científico de animais no Brasil. Além da Ceua/BIO, a UFPR conta com comissões semelhantes nos setores Agrárias e Palotina.

O objetivo da equipe é fiscalizar o cumprimento das normas legais, de forma que qualquer tipo de experimento atenda ao bem estar e à proteção animal com sofrimento mínimo. Todas as aulas praticas e trabalhos de pesquisa que envolvam animais de laboratório, domésticos ou silvestres devem ser submetidas ao comitê de ética antes de serem iniciadas.

Outro aspecto importante é o incentivo do uso, sempre que possível, de outros métodos de aulas praticas e/ou pesquisas que não envolvam o uso de animais. “Hoje, quase não há experimentações em aulas práticas de graduação. Utilizamos softwares que simulam o funcionamento real de órgãos e a interferência de substancias nestes órgãos”, exemplifica a coordenadora da comissão, Ana Vitória Fischer da Silva.

Nos dias 26 e 27 de setembro, a Ceua/BIO realizou mais uma edição do curso sobre Manipulação Animal, visando explicar aspectos teóricos e práticos sobre o assunto. O curso é obrigatório para todo o pesquisador que usar animais em seus experimentos.

Os três Rs

A preocupação com bem-estar animal em experimentos científicos começou na Inglaterra com o médico Marshall Hall, no início do século XIX, que adotou normas para que os animais fossem usados apenas em experimentos claramente definidos. Desde então, uma ampla discussão aborda a ética nestas atividades, com base nos princípios dos três Rs:

– Substituição (Replacement) – O uso de animais deve ser substituído sempre que possível por métodos que não envolvam o uso de animais.
– Redução (Reduction) – o número de animais utilizados deve ser reduzido ao mínimo necessário para alcançar os objetivos científicos.
– Refinamento (Refinament) – os estudos devem ser refinados ao ponto que o mínimo dano possível seja causado aos animais envolvidos.

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...