logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Com apoio do Napne, Rita Maestri é a primeira surda a se tornar mestre no Setor de Educação

Rita, ao centro, ladeada (esq) pelos membros da banca; e à direita,pelas orientadoras. Foto: Arquivo

Rita de Cássia Maestri, primeira surda a defender uma dissertação de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPR, abordou em seu estudo as experiências e desafios que influenciam na trajetória educacional e profissional de uma pessoa surda, ou seja, a própria autora.

A dissertação “História de vida de uma psicóloga e professora surda: mediações, desconstruções e construções” foi produzida com o acompanhamento do Núcleo de Apoio a Pessoas com Necessidades Especiais (NAPNE), em especial no quesito de intérpretes de Libras, proporcionando assim a acessibilidade necessária.

O estudo de Rita Maestri, orientado pelas professoras Maria Augusta Bolsanello e Clara Brener Mindal, apresenta uma narrativa minuciosa a respeito dos fatos mais relevantes da vida da própria autora (infância à vida adulta, a perda da audição e as mudanças vivenciadas nos campos pessoal, acadêmico e profissional).

Segundo as orientadoras, “além do fortalecimento da sua identidade surda, conscientização profissional como psicóloga e professora e o engajamento em um processo de conhecimento e aprendizagem, a aluna contribuiu para a formação/autoformação de profissionais surdos e de outros que atuam com sujeitos surdos

Cultura e identidade surda

A contribuição do estudo da pós-graduanda, na formação de profissionais surdos, a pesquisa aponta para a importância de se conhecer a cultura e identidade surda; a língua de sinais e a crença no potencial de aprendizagem desses sujeitos. Rita Maestri destaca que o trabalho, apresentado dia 30 de setembro no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPR, enfatiza a necessidade de superação do senso comum e a importância do papel da aprendizagem no trabalho.

Também merece destaque, os apontamentos feitos no trabalho acerca das politicas públicas educacionais e da educação bilíngue de surdos; as mediações realizadas por outros profissionais e professores em todos os níveis de ensino, a educação infantil à pós-graduação.

A apresentação do trabalho contou com apoio dos intérpretes Aldemar da Costa (esq.) e Anderson Spier Gomes (direita).

Além da pós-graduanda e de suas orientadoras, participaram da apresentação do estudo, realizada na sala Homero de  Barros (Edifício D. Pedro I/Reitoria), as professoras Gladis Perlin (também surda), da Universidade Federal de Santa Catarina; e Sueli de Fátima Fernandes, da Universidade Federal do Paraná. Durante a apresentação, Rita Maestri contou com o auxílio dos intérpretes de Libras da UFPR/NAPNE, Aldemar Balbino da Costa e Anderson Spier Gomes.

 

Jornalista Celsina Favorito

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...