logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

“Se não fizermos uma virada em defesa da vida e da terra, haverá uma catástrofe mundial”, diz Leonardo Boff na UFPR

Leonardo Boff palestrou sobre Ética do Cuidado. Foto: Thea Tavares

O professor, escritor e teólogo Leonardo Boff apontou ontem, no lançamento do Instituto Edésio Passos, a falência do Capitalismo devido aos problemas que o próprio sistema criou e sentenciou: “Se não fizermos uma virada em defesa da vida e da terra, poderemos ir de encontro a uma catástrofe ecológica mundial. Ou mudamos ou morremos. E como a vida é mais forte que a morte, vamos escolher a vida e vamos viver”.

Principal convidado do segundo dia da Semana Edésio Passos, promovida no Salão Nobre da Faculdade de Direito da UFPR, Boff falou sobre o tema “Ética do Cuidado”, ao lado do reitor Ricardo Marcelo Fonseca e do ex-deputado federal constituinte Nelton Friedrich. O professor disse que o maior desafio da humanidade é o cuidado com a terra. “Se não fizermos isso, ela vai adoecer e desaparecer porque a terra está sendo agredida constantemente e poderá sofrer grandes danos. Então, a ética que precisamos ter é a do amor, da relação protetora com a mãe-terra”.

Autor de mais de 30 livros, Boff criticou duramente o modelo de Capitalismo predominante na sociedade. “Ele é inimigo da vida. Explora todos os ecossistemas sem se importar com seus  efeitos sociais e ecológicos e nem com a degradação do meio ambiente”, avaliou. Boff também lamentou que os partidos de esquerda brasileiros não tenham sido capazes de apresentar alternativas viáveis para a sociedade. “Alternativas existem. Elas vêm de baixo, da nossa relação coma Terra, sem explorá-la. O importante é superar o Capitalismo, o que se faz com democracia, cidadania e liberdade”.

Eixo ético

O reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, disse que a importância da Semana Edésio Passos possui várias dimensões. “De um lado, pelos personagens importantes que estão vindo aqui, sempre com auditório cheio, o que engrandece a UFPR. De outro, porque o Instituto Edésio Passos nasce com um papel importante na sociedade em defesa da democracia, da cidadania e dos direitos humanos”, comentou.

O reitor afirmou ainda que Edésio Passos (advogado formado pela UFPR, ex-deputado federal e um importante militante das causas sociais, falecido em agosto do ano passado) sempre foi um advogado brilhante e uma liderança importante para o Brasil e, particularmente, para ele e para a UFPR. “Acompanhei a trajetória do Edésio como advogado e ainda como diretor de Itaipu e posso assinalar o quanto ele contribuiu com projetos importantes na UFPR. Era uma pessoa extraordinária, alguém que será sempre lembrado como um modelo ético importante”, avaliou.

Ricardo Marcelo destacou a presença de Leonardo Boff na UFPR. “É uma honra receber o Boff, que é um dos grandes intelectuais brasileiros, um grande pensador, que tem um eixo ético inquebrantável e que serve de pilar para o pensamento contemporâneo”. Para o reitor, Boff é um exemplo a ser seguido, sobretudo no contexto brasileiro. “Vivemos um momento de perigo, de retração de direitos, no qual o diálogo e a tolerância estão sendo minimizados. Então, receber uma mensagem de alguém com a estatura intelectual e ética do Boff é algo particularmente gratificante para a UFPR”.

Contribuição ao Paraná

O advogado André Passos disse que o Instituto e a Semana Edésio Passos mostram que o Paraná pode contribuir muito para que o Estado seja referência na discussão sobre a democracia, a cidadania e a liberdade. “O Instituto quer retribuir à cidade, ao Estado e ao Brasil com um grande evento nacional, que será realizado na primeira semana de abril de cada ano, para que consigamos ser referência nestes debates”, comentou. “Ele quer resgatar a história dos trabalhadores. É uma referência para que todas as pessoas possam continuar o legado do Edésio”.

Organizador do encontro, André Passos destacou a presença de lideranças importantes na Semana Edésio Passos, como Leonardo Boff, o ministro do Supremo Tribunal Federal-STF Edson Fachin (palestrante do primeiro dia do encontro, ontem) e ainda a ministra do Tribunal Superior do Trabalho-TST Delaíde Arantes (palestrante do último dia do encontro, na sexta-feira). “É uma honra receber estas pessoas aqui. Eles engrandecem o evento”.

 

 

 

 

pt_BRPortuguese