logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Museu de Arqueologia e Etnologia abre exposição em Curitiba e promove atividades para celebrar Consciência Negra

Durante toda essa semana, o Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal do Paraná (MAE-UFPR) oferece atividades em comemoração ao Dia da Consciência Negra, celebrado nesta quinta-feira (20). As ações acontecem na Sala Didático-Expositiva do museu, no Prédio Histórico da UFPR.

A proposta é apresentar uma parcela daquilo que constitui a riqueza e a diversidade da Cultura Negra, que tem grande importância na constituição histórica e social brasileira. A iniciativa dá destaque à música, à arte e à estética negra por meio de vídeos, apresentações artísticas e oficinas.

“Sunguilar – Contação de Histórias Africanas” será aberta nesta quinta, às 18h30 - FOTO: Divulgação

Mostra

Nesta quinta, será inaugurada a exposição “Sunguilar – Contação de Histórias Africanas”, referente ao projeto iniciado em 2013, que leva a contação de histórias para escolas e convida as crianças a usarem de sua imaginação na composição de pinturas inspiradas nos contos ouvidos.

A mostra é composta das pinturas coletivas produzidas pelas crianças, e de painéis com fragmentos dos seis contos trabalhados no projeto, os quais compõem o livro e audiolivro “Assim vivem os homens – Contos Africanos, volume II”. A abertura da exposição acontecerá às 18h30 do dia 20 de novembro e contará também com a apresentação de Tambores e Roda guiado pelo Pai João, Tateto Obassi Angola.

Além da exposição, serão ofertadas diversas oficinas e exibição de filmes relacionados à temática proposta na Semana, que se estenderá até o dia 28 de novembro. Paranaguá também recebe programação do Museu. Todas as atividades são gratuitas.

Serviço

Endereço: Sala Didática do MAE – Praça Santos Andrade, s/n, Prédio Histórico da UFPR.
Telefone: 3310-2754
E-mail: educativa.mae@ufpr.br

 

PROGRAMAÇÃO

Quinta-feira, 20/11:

Mini-oficina de contação de histórias, por Andréia Baia Prestes (Módulo II)

Esta oficina, proposta em dois módulos pretende servir de base para o exercício da atividade de contação de histórias. No segundo módulo, se falará sobre técnicas de impostação de voz e construção de repertório.
Público Alvo: professores, estudantes de pedagogia, e interessados em geral.
Horário: 9h às 11h

Filme “O cabelo de Lelê”, animação da história infantil de Valéria Belém, narrada por Nadirjane Medeiros.

Sinopse: ”De onde vem tantos cachinhos?”, pergunta Lelê, insatisfeita com seus cabelos. Será que ela encontrará a resposta para sua pergunta? Por que será que os cabelos de Lelê são assim? Uma história que fala sobre diversidade, tradição, autopercepção e beleza – negra.
Duração: 04 minutos
Classificação: livre.
Horário de exibição: 14h.

“Minhas raízes” – Tranças e turbantes, por Kênia Cristina

Pelo terceiro ano consecutivo, o MAE oferece, através da trançadeira Kênia Cristina a oficina de tranças e turbantes afro “Minhas raízes”, voltada para o aprendizado de técnicas de adornar-se ligadas à cultura africana, como forma de empoderamento e recuperação da autoestima da mulher negra.
Público alvo: voltada especialmente para mulheres (mas também aberta a homens) interessadas em aprender uma nova profissão, ou simplesmente que desejem conhecer um pouco da cultura e tradições ligadas aos cabelos afro.
Horário: 14h às 18h

Abertura da Exposição “Sunguilar – Contação de histórias Africanas” e Apresentação de Tambores e Roda, guiada por Pai João Tateto Obassi Angola.

Horário: 18h30min

Sexta-feira, 21/11:

Oficina de confecção de instrumentos musicais reciclados, com o músico Ben Hur Lima

A oficina, voltada para o público infanto-juvenil propõe técnicas de construção de instrumentos musicais a partir de sucata. Após a construção irá se explorar a musicalidade dos instrumentos construídos de forma lúdica e interativa.
Público: crianças e/ou adolescentes; professores; público em geral.
Horário: 9h às 12h

“Tudo o que você queria saber sobre Macumba e não tinha coragem de perguntar, e outras conversas com Ya Muncumby”.

Edição e adaptação da versão: Andréia Baia Prestes
Sinopse: O que é macumba? Quem são os macumbeiros? Perguntas cuja resposta pensamos saber, mas que podem ser bem diferentes da verdade. Através desse vídeo, procura-se trazer algumas respostas, na voz de Ya Mucumby, líder negra e mãe de santo assassinada em 2013, mas cuja luta e memória jamais serão esquecidos.
Duração: 15 minutos.
Classificação: livre.
Horários de exibição: Às 10h e às 14h.

Segunda-feira, 24/11:

Oficina de Macramê, por Yuria Santamaria Pismel

Esta oficina pretende abordar a técnica do macramê na confecção de colares e pulseiras. Trata-se de uma oficina introdutória desta técnica, para aqueles que pretendem confeccionar peças para si ou para a comercialização.
Público: crianças (a partir de 10 anos) e adultos.
Horário: 9h às 12h

Sessão Histórias da escravidão

Série Livros Animados: Duas histórias sobre as crianças negras e suas lutas no tempo da escravidão.
Horários de exibição: Às 10h e às 14h.

“O presente de Osanha”

Sinopse: Ricardo, filho do senhor do Engenho, tinha para si um menino escravo, cujo nome ninguém se lembrava, e por isso era chamado só de ‘moleque’. Um dia, no Moleque vai ao mato caçar passarinho e tem um encontro inesperado com Ossanha, senhor das matas, que lhe dá um inesperado presente que mudará seu destino dali em diante.
Duração: 06 minutos
Classificação: livre

“A Botija de Ouro”, de Joel Rufino dos Santos

Sinopse: Uma pequena escrava sem nome, de tanta fome, começa a comer pedaços do reboco da parede. Trancada no quarto escuro para largar a mania, pelo contrário ela continua a arrancar pedaços da parede com as mãos, e, por conta disso, acaba fazendo uma incrível descoberta.
Duração: 07 minutos
Classificação: livre

Terça-feira, 25/11:

Filme Cafundó.

Sinopse: João de Camargo (Lázaro Ramos) viveu nas senzalas em pleno século XIX. Após deixar de ser escravo ele fica deslumbrado com o mundo em transformação ao seu redor e desesperado para viver nele. Passa então a ter visões de Deus. Misturando suas raízes negras com as influências da religião judaico-cristã, João passa a realizar curas, se popularizando como o Preto Velho, cultuado até hoje dentro de religiões de matriz africana.
Duração: 1h37min
Classificação: 12 anos.
Horários de exibição: Às 10h e às 14h.

Quarta-feira, 26/11:

Oficina de desenho com giz pastel, por Anny Moraes.

A oficina, ministrada pela aluna de Artes Visuais Anny Moraes, propõe o aprendizado de técnicas básicas do desenho com giz pastel.
Público: jovens e adultos interessados em aprender ou desenvolver esta técnica.
Horário: 9h às 12h.

Filme “O filho do vento”, de José Andrade Barbosa, Série Livros animados.

Sinopse: Em meio a uma tempestade de vento, em uma cabana isolada na África, uma mãe tenta distrair seus filhos, contando-lhes histórias do tempo em que o sol, a chuva, as árvores e o Vento viviam em meio aos homens, e compunham um mesmo povo, e conta então a história no dia em que o filho do vento encontra pela primeira vez uma criança humana para brincar.
Duração: 24 minutos.
Classificação livre
Horário de exibição: Às 10h e às 14h.

Quinta-feira, 27/11:

Oficina de Isopogravura, por Glória Maria

Esta oficina propõe o uso de bandejas de isopor para a composição de matrizes de gravura, as quais serão compostas a partir da inspiração em grafismos da rica arte Africana.
Horário: 9h às 12h

Animações africanas: Imagens e visões da cultura africana a partir de seu próprio olhar.
Horários de exibição: Às 10h e às 14h.

ADUMU, story of survival and forgiveness – Adam Temple, Kenia

Sinopse: Um garoto rebelde descobre o verdadeiro significado de ‘ser um homem’ ao ter um encontro com um Guerreiro Massai.
Duração: 03 minutos
Classificação: livre.

“The Strange Creature” – Hey, watch this production – Angola

Um menino, considerado preguiçoso, por preferir tocar tambor a trabalhar, vendo sua habilidade musical ser testada diante de um confronto inesperado.
Duração: 2 horas
Classificação livre.

Sexta-feira, 28/11/2014:

Documentário “A filha de São Sebastião”
Sinopse: Documentário realizado por um coletivo de profissionais da área de cinema, produção, e história, da cidade de Belo Horizonte – MG, Brasil sobre a fé, a resistência e a força da mulher negra.
Duração: 47 minutos.
Classificação: livre.
Horários de exibição: Às 10h e às 14h.

Sugestões

Capitães da areia é a obra do mês de agosto do Clube do Livro
A segunda temporada do Clube do Livro, promovida pelo Sistema de Bibliotecas (SiBi) da Universidade...
Projeto de extensão Ciência para Todos está com inscrições abertas para alunos da UFPR
O projeto de extensão “Ciência para Todos” está com inscrições abertas para o processo seletivo e trainee....
Projeto da UFPR oferece treinamento gratuito de futebol para meninas
Com o objetivo de trabalhar o desenvolvimento integral de meninas entre 10 e 14 anos através da prática...
Inscrições para cursos extensivos do Celin para novos alunos iniciam em 7 de agosto
As inscrições para os cursos extensivos ofertados pelo Centro de Línguas e Interculturalidade (Celin)...