logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

UFPR debate nova organização curricular para melhorar qualidade de ensino

Com o objetivo de melhorar a qualidade de ensino, a Universidade Federal do Paraná está discutindo uma nova organização curricular para os cursos de graduação.

A reorganização vem sendo discutida desde abril deste ano com o Fórum de Coordenadores da UFPR, que reúne os coordenadores dos cursos de graduação. O conjunto de propostas foi apresentado pela Coordenação de Políticas de Ensino de Graduação (Copeg) da Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional (Prograd) à comunidade universitária em uma minuta de anteprojeto de resolução em substituição à resolução n 30/90-CEPE.

Uma das proposições é a mudança do calendário acadêmico para 18 semanas letivas por semestre.

Atualmente, a maioria dos cursos trabalha com um calendário de 15 semanas, e muitos outros já têm um calendário de 18 a 20 semanas. Os cursos que foram implantados em 2013 nos campi de Jandaia do Sul, Palotina e Centro de Estudos do Mar já foram criados nessa nova concepção, e seguem o modelo de 18 semanas por semestre em turno único.

O objetivo da extensão do calendário é atender com mais qualidade os cursos noturnos, e permitir que cursos que hoje têm período integral sejam ofertados em um único turno.

“Com base nessa experiência que tivemos com a criação de novos cursos no interior do estado, vimos que é possível trabalhar cursos pesados, como os de engenharia, em único turno. Assim, o aluno pode desenvolver outras atividades, como monitoria, iniciação à pesquisa, trabalhar e estudar”, explica a coordenadora de Políticas de Ensino de Graduação, Maria Lúcia Accioly Teixeira Pinto.

Outra razão para a mudança é a melhor distribuição de aulas para professores que atuam em cursos de graduação e de pós-graduação.

Extensão

Um ponto importante da proposta é a inclusão de atividades de extensão no currículo. O Plano Nacional de Educação diz que até 10% da carga horária de um curso devem ser de atividades de extensão. Essa lei é vigente desde julho deste ano, e as universidades têm dez anos para implantar essa meta. “O objetivo é sair da sala de aula e entrar em contato com a realidade. Na UFPR, uma comissão está estudando as maneiras de aplicar essas mudanças no currículo”, diz Maria Lúcia.

A proposta é uma nova visão curricular, com maior integração entre disciplinas, e entre ensino, pesquisa e extensão. Segundo a coordenadora, os debates seguem abertos para que a proposta seja aprimorada e a construção das mudanças seja coletiva.

“Hoje nós temos uma realidade que é mais inclusiva. Temos a entrada de muitos alunos que vêm de uma situação de fragilidade econômica, então temos que estar voltados a essas questões. Acreditamos que as propostas que estamos trazendo, se forem aceitas pela comunidade e aprovadas, resultarão em proposta de ensino agregado à pesquisa e à extensão, e trarão mais qualidade para nossa instituição”, afirma Maria Lúcia.

As medidas, se aprovadas em Conselho, teriam um prazo de três anos para ser implementadas.

Sugestões

Post de Evento
Vai ser publicado um Edital sobre ……
Pré-Vestibular Comunitário da UFPR está com vagas remanescentes abertas
O projeto de extensão “Pré-Vestibular Comunitário”, do setor Palotina da Universidade Federal do Paraná...
Provar 2024: UFPR tem 804 vagas abertas em cursos de graduação, inscrições até 11/08
Esta é a última semana para inscrição de interessados em uma das 804 vagas em cursos de graduação oferecidas...
Mestrado acadêmico em Enfermagem recebe inscrições
O Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná oferece 24 vagas para o curso...