Projeto oferece atendimentos com mão robótica para auxiliar pacientes que sofreram AVC

16 fevereiro, 2022
11:30
Por
0
Ciência e Tecnologia

Os atendimentos da clínica são realizados no campus Botânico da UFPR. Foto: Kelly Regina Scipioni 

A Clínica Escola de Terapia Ocupacional (CETO) da Universidade Federal do Paraná está com vagas abertas para atendimentos envolvendo pacientes que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC). A universidade conta com um novo instrumento: a mão robótica e software de Interface Cérebro-Máquina (ICM). O equipamento, disponibilizado pela empresa brasileira Neurobots, foi cedido para auxiliar no atendimento de reabilitação a pacientes atendidos na clínica e para a pesquisa.

Esse serviço é gratuito e para inscrição em lista de espera é necessário entrar em contato pelo whatsApp 3361-3742 ou através das redes sociais  @ceto.ufpr.

ICM no atendimento de reabilitação neurológica

O equipamento ICM é uma tecnologia que utiliza sensores para captar os sinais neurofisiológicos do cérebro através de um aparelho de eletroencefalograma (EEG) ligado a um software que aciona o exoesqueleto (mão robótica), fornecendo um feedback sensorial a mão acometida pela sequela neurológica pós AVC, com objetivo de favorecer a recuperação e função da mão.

Esse recurso será utilizado para  estimular a neuroplasticidade cerebral — capacidade do cérebro em aprender e recuperar funções, além de auxiliar na recuperação do membro superior de pessoas que tiveram o Acidente Vascular Cerebral, buscando favorecer o engajamento e autonomia do indivíduo na realização das atividades do cotidiano.

Sobre a CETO 

A Clínica-Escola de Terapia Ocupacional (CETO), realiza atendimentos gratuitos à comunidade desde 2013. Já realizou mais de 5 mil atendimentos e atendeu mais de 1500 pacientes. Na clínica, também, já  passaram mais de 500 acadêmicos do curso de Terapia Ocupacional em estágios curriculares.

De acordo com a equipe da CETO, o desenvolvimento de projetos como este dentro da Universidade é algo de suma importância para a geração de conhecimento. “ É um processo de formação acadêmica e geração de conhecimento que possibilita futuramente  a realização de projetos de pesquisas e extensão com o que há de mais moderno e com alto nível de evidência científica para a comunidade acadêmica e a sociedade”, explica.

Como participar 

O paciente deve preencher um formulário disponível nas redes sociais do projeto ou através do  whatsapp pelo número 41 3361-3742. Após o cadastro em fila de espera é realizada uma triagem para avaliação dos critérios de inclusão do Protocolo. É necessário o paciente ter o diagnóstico de AVC, boa compreensão cognitiva e preencher os critérios motores.

Além dos atendimentos será iniciada uma pesquisa em parceria com a Universidade de Sergipe, com uso deste aparelho.

A clínica segue nos atendimento de Terapia Ocupacional na Reabilitação Neurofuncional. Alguns dos registros de atividades e estratégias que foram realizadas nestes atendimentos são: Treino de Atividades de Vida Diária (AVDs), Imagética Motora, Reeducação Sensorial Ativa,  Vibração Focal, Terapia Espelho, Uso de faixa de compressão e Interface cérebro-Máquina (ICM).

(Por Felipe Reis, estagiário, sob orientação de Simone Meirelles)

Sugestões

14 agosto, 2023

Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar o ambiente químico em torno […]

10 agosto, 2023

No último dia 03, aconteceu a posse da nova Direção do Setor Palotina, Gestão 2023 – 2027, com […]

09 agosto, 2023

O projeto de extensão “Pré-Vestibular Comunitário”, do setor Palotina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), está com inscrições […]

07 agosto, 2023

A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições Federais […]