logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Projeto Hands-on-Tec capacita professores e estudantes da rede pública de Apucarana

O projeto Hands-on-Tec – mãos nas tecnologias digitais móveis, desenvolvido pelo curso de Licenciatura em Computação do campus avançado de Jandaia do Sul, ampliou a formação de estudantes e professores da rede pública, por meio de uma parceria com o município de Apucarana. Cerca de oito mil alunos de 37 escolas da rede municipal e duas mil crianças de 24 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI´s) devem ser atendidos.

O convênio entre o município e o campus avançado de Jandaia do Sul abrange a capacitação semipresencial de todos os professores da rede municipal, que atendem a educação infantil e ensino fundamental I. As atividades serão realizadas durante o período de um ano, alcançando aproximadamente 560 profissionais.

A formação “Hands-on-Tec” integra as mídias digitais ao conteúdo curricular, contribuindo para o desenvolvimento da aprendizagem dos alunos.

“Nosso foco está na educação básica porque temos que começar da base. Criando a cultura digital no ensino fundamental, vamos avançar no uso de tecnologias na educação. As crianças aprenderão com as tecnologias e estarão aptas em qualquer fase escolar”, explica uma das coordenadoras do projeto, professora Selma dos Santos Rosa.

De acordo com Selma, o curso de Licenciatura em Computação está à frente do projeto para a transformação da realidade por meio das tecnologias. “O foco é integrar tecnologias na educação básica, superior e corporativa”, diz.

As unidades receberão equipamentos de informática para acesso a novas tecnologias dentro das salas de aula.

Professores e estudantes da UFPR no lançamento do convênio entre o campus avançado de Jandaia do Sul e o município de Apucarana.
Divulgação: projeto Hands-on-Tec

Projeto Hands-on-Tec

A necessidade de contribuir com práticas de ensino que fortaleçam o uso de recursos tecnológicos gerou a criação do projeto em 2011.

Voltado para a formação de professores, o Hands-on-Tec adota uma estratégia pedagógica para contribuir com práticas de ensino mediadas por tecnologias digitais móveis.

“Nossa principal proposição é integrar tecnologias digitais aos programas curriculares e, consequentemente, criar uma cultura digital nas escolas”, afirma Selma.

Cerca de 60 professores dos núcleos estaduais dos municípios de Maringá, Goioerê e Apucarana, e cinco professores de Jandaia do Sul já receberam a formação.

Participam das atividades docentes da UFPR e acadêmicos das Licenciaturas em Computação e em Ciências Exatas, do campus de Jandaia do Sul e do Setor Palotina da UFPR, além de alunos do mestrado profissional da Universidade Estadual do Norte do Paraná.

 

Formação acadêmica

O projeto também oferece oportunidades de estágio para os estudantes, atuando como tutores na formação dos professores.

Daniella Mariano Lourenço, do curso de Licenciatura em Computação do campus avançado de Jandaia do Sul, participa do projeto há mais de um ano. “Os professores, assim como os alunos, iniciaram com uma certa resistência, mas com o tempo eles foram se adaptando e, na verdade, eles preferem utilizar a Hands-on, do que voltar ao modelo tradicional de ensino”, relata.

“O projeto é uma grande oportunidade de desenvolvimento de habilidades para um aluno de licenciatura, pois você tem contato direto com sua área de atuação. Pela oportunidade de interação que tive com os professores, me identifiquei diretamente com a docência. Pude ver quais são as dificuldades que os professores enfrentam com tecnologia e, principalmente, mostrar que nós temos uma solução”, conta o acadêmico Mateus Morial Carrascoso, que integra o projeto desde 2017.

Além da formação dos professores, o grupo da UFPR presta apoio técnico e pedagógico continuado e realiza a manutenção dos equipamentos (computadores, tablets, lousas digitais, entre outros). “Nas escolas vejo que as escolas recebem equipamentos tecnológicos, mas sem formação ou estratégia pedagógica que faça a integração entre os componentes curriculares e a tecnologia. Aí entra o Hands-on-Tec, porque sabemos que a tecnologia é uma potencializadora no processo de ensino-aprendizagem”, diz Mateus.

Para Daniella, participar do projeto também é uma forma de aprimorar o próprio aprendizado. “Minha formação também tem como objetivo saber utilizar as tecnologias da melhor forma possível na educação formal e informal. A Hands-on-Tec me dá abertura para trabalhar isso, além de criar uma demanda de trabalho”.

 

Com informações da Rádio 98 FM de Apucarana.

pt_BRPortuguese