logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Professores da UFPR são selecionados pelo Ipea para participar de projeto Desafios da Nação

Dois professores do Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) tiveram seus projetos selecionados no programa “Desafios da Nação” desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).  Marcelo Curado conquistou o primeiro lugar na área Ambiente de Negócios e Raquel Guimarães ficou na segunda posição em Política Macroeconômica. Ambos irão receber bolsas para produzir pesquisas e artigos relacionados aos temas.

“Desafios da Nação” é um projeto que tem como metas dobrar a renda per capita no Brasil, reduzir as desigualdades sociais, desenvolver tecnologias críticas e promover a sustentabilidade ambiental.  Dentre os temas abordados estão previdência, trabalho e macroeconomia.

O Ipea, coordenador da iniciativa,  fundamenta sua proposta em três eixos: vencer a barreira da renda média, com a elaboração de políticas de desenvolvimento que dobrem a renda per capita brasileira; crescimento com inclusão social, que inclui mão de obra capacitada e uma sociedade menos dependente do Estado; e o desenvolvimento e absorção das tecnologias críticas para o desenvolvimento, de forma a acelerar o crescimento econômico.

Ambiente de Negócios

O professor Marcelo Curado já havia participado de outros projetos com o Ipea, mas, segundo ele, esta é a primeira vez que o órgão lança uma proposta com essa configuração específica, que pretende, entre outras coisas, fazer o desenho de políticas públicas para uma trajetória de crescimento mais rápido da economia brasileira.

A partir da seleção, Curado terá prazo de seis meses para desenvolver um artigo correspondente ao projeto inicialmente elaborado. O economista irá se dedicar ao estudo das dificuldades relativas ao ambiente de negócios no Brasil. De acordo com ele, essa é uma área muito burocratizada e que apresenta uma série de obstáculos, inclusive de natureza legal, que acabam por dificultar a atividade econômica. “Nesse sentido, tentarei mensurar – com fundamentação em dados – o quanto esses empecilhos geram de redução de crescimento e quanto uma retirada deles geraria de potencial”, revela.

A ideia central do trabalho de Curado é propor políticas públicas que auxiliem na redução dos problemas encontrados no ambiente de negócios brasileiro. “Primeiramente vou mensurar os dados. Em um segundo momento, vou comparar o  ambiente de negócios do Brasil com o de outras economias selecionadas. Dessa forma, será possível contrapor os resultados para analisar o que pode ser adaptado e aprendido com boas práticas realizadas em outros países”, explica.

Segundo o professor, é interessante salientar a importância de um órgão como Ipea, que procura dialogar com a sociedade e com pesquisadores e especialistas. “Isso é positivo tanto para o pesquisador quanto para o Instituto, que ganha diversidade de pensamento e se abre para o conhecimento acumulado na sociedade, podendo, assim, formular políticas públicas que reflitam a diversidade e as características da população”.

Política macroeconômica

A professora Raquel Guimarães tem mais de dez anos de experiência realizando pontes entre a academia e o setor público ou privado para aprimorar o delineamento de ações de impacto para o desenvolvimento.

O projeto de Raquel refere-se à interseção entre a Economia e a Demografia. Ela avaliará as consequências das mudanças na dinâmica demográfica sobre tendências econômicas futuras. “Estamos vivenciando, no Brasil, um processo acelerado de transição demográfica, com o envelhecimento populacional. Além disso, temos expansão educacional e o aumento da participação feminina no mercado de trabalho. Todas essas mudanças apresentam implicações importantes para a produtividade da força de trabalho da economia brasileira. Nesse projeto, meu objetivo é, com base em projeções populacionais, educacionais e da participação na força de trabalho, mensurar qual seria o efeito puro das mudanças demográficas sobre o crescimento da produtividade no Brasil”, explica.

De acordo com a professora, o projeto “Desafios da Nação” possui um enorme potencial de impactar, de forma positiva, a sociedade. Para ela, mais iniciativas como esta são necessárias para tratar os problemas que atrapalham o desenvolvimento sócio-econômico do país. “Quando pesquisadores de diversas áreas se articulam, em uma perspectiva de pensar juntos os caminhos para o desenvolvimento do país, produzindo resultados com base em evidências rigorosas, os gestores, formuladores de políticas públicas, setor privado e a sociedade civil tendem a ganhar”, finaliza.

 

 

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...