logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Nova resolução facilita inserção internacional da UFPR

A Resolução n.º 12/17, aprovada pelo Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (CEPE) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), vai simplificar e desburocratizar os pedidos de cotutela internacional para orientação de mestrado e doutorado. Ainda não havia oficialmente uma normativa para os pedidos.

O diretor da Agência UFPR Internacional, professor André de Macedo Duarte, destacou a maior agilidade que os programas de pós-graduação terão ao realizar novos pedidos. “Com esta nova normativa e a sua difusão, vai se ampliar o número de propostas de cotutelas aprovadas. Quando o procedimento está claramente discriminado, as pessoas sabem o que tem que ser feito e que não há nenhuma dificuldade no processo, e assim  têm mais interesse”, disse.

Duarte explica ainda que o procedimento terá um trâmite mais rápido e simplificado porque os órgãos internos da universidade não precisarão elaborar pareceres mais complexos sobre os acordos. “Por exemplo, o processo não terá que passar por parecer da PRPPG ou da Agência UFPR Internacional. Nós simplesmente avaliaremos se o processo está bem instruído. Se houver interesse de ambas as partes em fazer o processo de cotutela, ele será feito” completa o diretor.

Outra novidade é que a partir de agora não será necessário haver um acordo institucional entre a UFPR e a instituição do exterior para estabelecer a cotutela. Duarte explica que “os acordos não dependem mais de todo um processo de acordo geral de cooperação acadêmica entre universidades, havendo interesse dos programas [de pós-graduação] isso pode ser feito muito rapidamente, de forma desburocratizada, isso é mais um atrativo no sentido da internacionalização”.

O professor Francisco de Assis Mendonça, pró-reitor de Pesquisa e Pós Graduação, conta que não existia resolução de cotutela nem de dupla titulação na UFPR. “Nós carecíamos de processo oficial de reconhecimento à creditação dessas atividades, que são feitas em parceria entre pesquisadores orientadores do Brasil e do exterior”, diz.

Segundo Mendonça, a partir dos novos processos estabelecidos pela resolução será possível para a universidade ter um conhecimento maior sobre estes acordos, mantendo o controle sobre o número destas iniciativas e de seus resultados. Estes novos procedimentos vão permitir maior facilidade na prestação de contas e na execução das estratégias de inserção internacional da UFPR.

Por Rodrigo Choinski

Sugestões

Progepe lança atividade de saúde e longevidade para aposentados
Aposentadoria nunca foi sinônimo de inatividade. Pensando na qualidade de vida dos servidores aposentados,...
Ciência UFPR: Molécula-ímã tem potencial para revelar a bioquímica por trás de doenças
Desenvolvido na UFPR por parceria internacional, magneto molecular Dy(pn)Cl pode ajudar a investigar...
“A SBPC é a marca de que o Brasil acredita e produz ciência da mais alta qualidade”, diz ministra do MCTI
Entre 23 e 29 de julho, aconteceu na Universidade Federal do Paraná (UFPR) a 75ª Reunião Anual da Sociedade...
Série sobre a ciência produzida nas Universidades brasileiras estreia na TV Brasil
A série “Cientistas do Brasil” é uma produção que mostra a ciência produzida por pesquisadores das Instituições...