logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Memorial homenageia vítimas da covid-19 integrantes da comunidade UFPR

Eles passaram por salas de aulas, departamentos, laboratórios… Eram colegas, alunos, mestres, amigos… A pandemia da covid-19 tem tirado a vida de milhares de pessoas, muitos pertencentes à comunidade universitária. Para homenagear todos aqueles que se foram, a Universidade Federal do Paraná criou, de forma online, o Memorial às vítimas do coronavírus.

A ação é uma forma de guardar a memória e valorizar todos que fazem parte da história da UFPR – professores, técnicos, alunos e colaboradores terceirizados. No mural virtual, estão os nomes de todos que fazem parte da comunidade universitária e morreram em decorrência da covid-19. Quando o nome é clicado, direciona para a nota publicada no portal da UFPR.

A UFPR é a primeira instituição de ensino a homenagear oficialmente as vítimas de sua comunidade. O texto de abertura do Memorial apresenta: “Este espaço é uma homenagem da Universidade Federal do Paraná para todos os integrantes da nossa comunidade que morreram em decorrência da doença. Esta pandemia entrou, sem pedir licença, na história da humanidade, deixando um rastro de tristeza e de ausências. Este Memorial às vítimas do coronavírus na UFPR se destina ao registro histórico de todas as nossas vítimas”.

A professora do departamento de Psicologia Joanneliese de Lucas Freitas, coordenadora do projeto de extensão Luto: vivências e possibilidades, fala sobre a importância do memorial: “nesse momento de pandemia, quando não podemos nos reunir para vivenciar os ritos que nos permitem compreender o irremediável da morte e ressignificar a partida de quem amamos, os memoriais têm um papel muito importante para permitir aos vivos a possibilidade de homenagear seu ente querido, revisitar sua história conjunta e reconhecer a sua partida. Também é uma oportunidade de nos despedirmos de maneira coletiva. Portanto, além desse aspecto pessoal, podemos pensar no memorial como uma forma de dar sentido a uma experiência que na pandemia se tornou coletiva”.

Para a professora, “os memoriais nos ajudam como grupo social a reconhecer as nossas perdas, fazer com que esse momento seja marcado por um ato que permite a construção da memória coletiva e quem sabe nos permita mobilizações coletivas para a mudança do rumo da pandemia entre nós. Nos oferece a oportunidade, portanto, de dimensionar o impacto da pandemia não apenas em nossas vidas particulares, mas em nossa vida coletiva, transformando números e estatísticas em vidas, rostos, nomes, impedindo que os mortos sejam mortos uma segunda vez no esquecimento e que as próximas gerações possam perceber e refletir sobre as heranças desse momento em nossa história”.

Comunicados
Caso algum falecimento não tenha sido notificado, é possível solicitar a inclusão no Memorial enviando um e-mail para jornalismo.sucom@ufpr.br .

pt_BRPortuguese