logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Hospital de Clínicas conta com desinfetadoras no serviço de enfermagem

Começou a funcionar no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, a primeira das 28 termodesinfectadoras que vão tornar o serviço de enfermagem mais eficaz e mais seguro. Trata-se de uma lavadora de utensílios hospitalares, um dispositivo automático de limpeza e desinfecção, que funciona com água quente e fria, sem detergente ou produto químico, lava e faz a termodesinfecção de comadres e papagaios sem que haja contato do profissional com os dejetos. “Somos o primeiro hospital universitário do Brasil a termos essas lavadoras instaladas.”, contou a diretora de Enfermagem do HC, Marilene Lowen Wall.

Essa primeira lavadora foi instalada no Serviço de Cirurgia Geral do HC e outras 27 unidades  serão beneficiadas, sem nenhum custo para o Hospital. Os equipamentos estão sendo cedidos pela empresa alemã Meiko, fundada em 1972, que produz  as lavadoras.O projeto foi apresentado a um Comitê que estrategicamente avaliou padrões a serem estabelecidos pelo Hospital de Clínicas bem como a aplicação de novas tecnologias e as consequências da adoção das mesmas e já trouxe novidades. Logo na instalação da primeira unidade, foi apresentado, pelos representantes da Meiko, Daniela Bischler e Thomaz Meier, um cesto  que não existia no projeto original, a fim de dar suporte à lavagem dos frascos de aspiração, bastante utilizados no Hospital.

Com apenas 20 litros de água, são lavados e desinfectados uma comadre e um papagaio ou, então, três papagaios em cerca de 10 minutos, sem que haja contato do profissional com os dejetos. A substituição do processo manual por um automatizado, sem o uso de detergente, respeita as boas práticas de sustentabilidade e atende as recomendações da Vigilância Sanitária. “Pela praticidade e todas as vantagens que traz. Principalmente agora, com as bactérias multirresistentes, o Hospital tem se preocupado demais com a questão destes utensílios”, ressalta a enfermeira do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar, Maria Edutânia Castro.

Sem o equipamento

O profissional de enfermagem descarta os dejetos no sanitário e lava os utensílios manualmente com o uso de produtos químicos, gastando um grande volume de agua corrente e tempo despendioso dependendo da quantidade de itens.

Com o equipamento

O serviço de enfermagem pega os utensílios com dejetos e os coloca diretamente na máquina termodesinfectadora que fará todo o trabalho, durante o período que gira em torno de 10 minutos, com água quente e fria, sem detergente ou produto químico e sem que haja contato do profissional com os dejetos.  “Nosso paciente ganhará em qualidade e segurança na assistência. A Enfermagem é a grande beneficiada quanto ao processo de trabalho”, explica Marilene Lowen Wall, diretora de Enfermagem do HC.

 

por Assessoria de Marketing do HC

Sugestões

Informativo UFPR (Destaques da semana de 07/08 a 11/08/2023) 
DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA    🧠🔭 Projeto de extensão Ciência para Todos está com inscrições abertas para...
Setor Palotina: Posse da nova direção
No último dia 03, aconteceu a posse da nova Direção do Setor Palotina, Gestão 2023 – 2027, com...
Doutoranda que criou programas para incentivar a adoção de cães é homenageada na Câmara de Curitiba 
Na manhã desta terça-feira (8), Lu Baldan, médica veterinária e doutoranda em Ciências Veterinárias na...
UFPR lamenta falecimento do professor aposentado Mauro Lacerda Santos
A Universidade Federal do Paraná comunica, com pesar, o falecimento do professor aposentado Mauro Lacerda...