logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Estudantes de Fisioterapia pesquisam a eficácia de métodos analgésicos para a dor lombar

A dor lombar ou lombalgia, que atinge a parte inferior das costas, é um problema que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), afeta 80% da população em algum período da vida, sendo uma das principais causas de afastamento do trabalho. Na UFPR, um estudo com pacientes voluntários, iniciado há dois anos pelo curso de Fisioterapia, procura verificar quais os recursos mais eficazes para aliviar a dor, entre os comumente utilizados por fisioterapeutas.

Foto: Imagem retirada da internet

De acordo com Ana Carolina Brandt de Macedo, orientadora do estudo, estão sendo avaliados recursos eletroterapêuticos, fototerapêuticos e ultrassom. “Já foram analisadas a Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea (TENS) e a Corrente Interferencial. O próximo recurso a ser estudado é a Corrente Aussie”, explica. A pesquisa é realizada com voluntários e pretende englobar todos os métodos utilizados na Fisioterapia.

A averiguação é feita por meio de questionários validados para dor lombar, pela escala visual analógica da dor – instrumento que auxilia na aferição da intensidade da dor no paciente – e pela avaliação objetiva da dor com o algômetro – aparelho que verifica dores em músculos, articulações, tendões e ossos.

Até agora já foram registrados resultados satisfatórios a respeito da aplicação da TENS, que proporcionou o alívio imediato da dor. Os resultados sobre a corrente interferencial ainda estão sendo avaliados. Estão também envolvidos no projeto – previsto para durar pelo menos mais três anos – a professora Raciele Korelo e alunos de iniciação científica de Fisioterapia.

Voluntária

A servidora aposentada da UFPR Geny Nowisck sofre com lombalgia há cerca de 17 anos e participou de duas fases da pesquisa como voluntária. Ela relata que, durante a primeira etapa, recebeu a aplicação de um aparelho e, apesar de sentir um alívio imediato, as dores logo voltaram. Em um segundo momento, passou a participar da técnica Isostreching – ginástica postural global que visa a conscientização corporal, a correção postural, o favorecimento da oxigenação e da circulação sanguínea. As sessões têm uma hora de duração e acontecem duas vezes na semana.

Geny relata que tem sentindo alívio nas dores com os exercícios que pratica: “Jogo vôlei e quando comecei as atividades quase não conseguia treinar. Agora estou bem melhor, sentindo menos dor e melhorando minha postura sem necessitar de remédios”. A voluntária se sente gratificada por ter a oportunidade de colaborar com a pesquisa e com uma possível solução para o problema.

Causas e prevenção

A dor lombar é uma das principais causas de afastamento do trabalho e, apesar de ainda não haver um consenso sobre o melhor método de tratamento, sabe-se que a prevenção envolve cuidado com postura e alimentação e prática de atividades físicas.

De acordo com a OMS, esta patologia normalmente está associada a fatores relacionados ao trabalho, como levantamento e transporte de cargas pesadas, movimentos enérgicos e posturas incômodas. Além disso, aspectos físicos e sociais da vida pessoal, bem como características físicas e psicológicas, podem se relacionar às causas da doença.

Sugestões

Capitães da areia é a obra do mês de agosto do Clube do Livro
A segunda temporada do Clube do Livro, promovida pelo Sistema de Bibliotecas (SiBi) da Universidade...
Projeto de extensão Ciência para Todos está com inscrições abertas para alunos da UFPR
O projeto de extensão “Ciência para Todos” está com inscrições abertas para o processo seletivo e trainee....
Projeto da UFPR oferece treinamento gratuito de futebol para meninas
Com o objetivo de trabalhar o desenvolvimento integral de meninas entre 10 e 14 anos através da prática...
Inscrições para cursos extensivos do Celin para novos alunos iniciam em 7 de agosto
As inscrições para os cursos extensivos ofertados pelo Centro de Línguas e Interculturalidade (Celin)...