logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

UFPR promove primeiro censo populacional de cães e gatos de Curitiba, a partir desta sexta-feira

A UFPR realiza nesta sexta-feira e no sábado (dias 20 e 21), a primeira etapa de uma pesquisa populacional de cães e gatos de Curitiba, que vai se estender até o fim do ano, aplicando 9 mil questionários em todas as regionais da cidade. O grupo de 40 pesquisadores vai coletar as respostas, inicialmente, junto à comunidade da regional do Cajuru. O trabalho começa às 8h desta sexta-feira, na sede do Museu de História Natural de Curitiba (Rua Professor  Nivaldo Braga, 1369, bairro Capão da Imbuia).

Resultado de parceria entre a UFPR, a Rede de Proteção Animal de Curitiba, a Universidade de São Paulo (USP) e a Contrans Transportes e Logística, o censo aplicará 900 questionários em cada uma das dez administrações regionais de Curitiba. São 30 perguntas, que têm por objetivo definir parâmetros confiáveis de dados para orientar o trabalho dos pesquisadores e profissionais que atuam na área.

A UFPR participa do projeto com a aplicação dos questionários – que será feita por estudantes e professores do curso de Medicina Veterinária, além de voluntários e colaboradores da Rede de Proteção Animal – e ainda com o suporte técnico.  O levantamento adotará uma metodologia de trabalho que também poderá ser utilizada em outras análises da população animal no Brasil.

Base de informações

O coordenador da iniciativa, professor Alexander Biondo, explica que o levantamento vai focar as perguntas na população de cães e gatos da cidade que possuem residência fixa, inclusive sua idade. “Mas nós também vamos perguntar, por exemplo, se as pessoas alimentam os cães de rua. Se a pessoa tem vontade de castrar seu animal, se viu maus tratos acontecendo, etc”, disse.

Segundo Biondo, esta base de informações poderia ter sido levantada antes do desenvolvimento de campanhas de castração ou adoção. “Por exemplo, as 14 mil castrações feitas na gestão passada poderiam ser focadas em áreas de risco com respaldo estatístico. E poderia ter sido avaliado o impacto após a sua realização”, disse o professor da UFPR, que também já fez um censo semelhante no município de São Mateus do Sul, em 2015.

Voluntários podem participar da pesquisa enviando mensagem ou whattsApp para o telefone 61-99252-5695 (com Thamires Figueiredo) ou apenas comparecendo no Museu de História Natural do Capão da Imbuia. Serão emitidas declaração de participação aos voluntários pelo curso de Medicina Veterinária da UFPR, que precisa de pelo menos mais 20 voluntários para amanhã e outro 20 para sábado, já que eles atuarão em dupla com nossos monitores.

 

en_USEnglish