logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Crianças e jovens podem aprender sobre solos de forma interativa

Alunos em visita ao laboratório (fotos Ana Assunção)

Escolas interessadas em trazer seus alunos a partir do terceiro ano fundamental para conhecer na prática questões sobre solo podem se inscrever nas visitas guiadas do Programa Solo na Escola, da Universidade Federal do Paraná. Num laboratório didático, são apresentadas diversas experiências simples e facilmente reproduzíveis. É possível entender como a água atua na erosão dos solos, quais tipos de solos têm mais cargas elétricas, como eles se compactam, como reagem à água, quais são mais férteis, a atuação das minhocas e até a arte feita a partir dos solos. A visita dura de uma a duas horas, dependendo do interesse da turma, que pode interagir com os experimentos. As visitas são gratuitas e podem ser agendadas no site www.escola.agrarias.ufpr.br. Não há limite de idade ou série para participar.

O projeto Solo na Escola nasceu em 2002 e devido ao sucesso virou Programa de Extensão que congrega quatro projetos: Formação Continuada em Solos para Professores, Exposição Didática de Solos, Recursos Didáticos para Educação em Solos, e Educação Ambiental em Solos. Cada um se destina a um público específico, mas o objetivo é o mesmo: promover a educação e o conhecimento sobre a importância dos solos para a vida no planeta. A coordenação geral está a cargo do professor Marcelo Ricardo de Lima.

Ideia é mostrar na prática as características dos solos

Como resultado da ampliação do programa, são ofertados periodicamente cursos de capacitação para professores das redes municipais e estaduais. Podem participar docentes de educação básica nas áreas de Ciências, Biologia, Geografia, Química e Educação Ambiental. Em dois dias de aulas, eles aprendem mais sobre os solos do Paraná e como ensinar melhor sobre o tema para os alunos. Conhecem os experimentos montados na UFPR e como reproduzi-los para seus alunos. O próximo curso será nos dias 26 e 27 de agosto, para professores da rede pública estadual da Região Metropolitana de Curitiba, com 60 inscritos. E estão abertas inscrições para o curso seguinte, que será realizado dias 23 e 24 de setembro para professores da rede estadual de ensino de Curitiba. Eles podem se inscrever nos núcleo regional de Educação da Secretaria Estadual de Educação.

Existe um objetivo claro ao tornar os experimentos simples, utilizando garrafas recicláveis, torneiras, fios e outros artefatos de fácil acesso. Todos os passos estão detalhados no site do projeto, justamente para que possam ser realizados em qualquer lugar. Docentes de vários estados brasileiros e até do exterior já entraram em contato para relatar o uso da chamada Experimentoteca para ensinar seus alunos. Dessa forma, o programa ganha um efeito multiplicador.

Escolas podem agendar visitas gratuitas

O programa envolve o desenvolvimento de recursos didáticos. Já foram lançados um vídeo sobre solos (visto mais de 75 mil vezes no You Tube), cartilhas voltadas a professores, abordando os principais solos do Paraná e do litoral do Paraná, o livro “O Solo no Meio Ambiente” e um mapa didático. Todos distribuídos gratuitamente para escolas do Estado e também disponíveis na Internet.
O mais recente desdobramento do Programa é a criação da disciplina “Solos na Educação Básica”, ofertada a alunos de licenciatura em Geografia e Ciências Biológicas. “Percebemos que não basta ensinar o professor já formado. Podemos apresentar os conceitos didáticos dos solos para os futuros docentes e assim prepará-los desde a graduação para um ensino mais completo e eficaz”, observa o professor Marcelo de Lima.
Saiba mais sobre o projeto no site www.escola.agrarias.ufpr.br.

en_USEnglish