logo_branca_ufpr

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Debate Multidisciplinar sobre o aborto – 08/06 – 18h30 às 21h

A criminalização do aborto divide o mundo em dois: a maioria dos países do hemisfério norte não trata o aborto como crime, e tem leis mais liberais em relação ao procedimento. Por outro lado, as leis de quase todos os países do hemisfério sul criminalizam o aborto na imensa maioria dos casos.

As leis restritivas, além de não impedirem que as mulheres abortem, tornam o aborto inseguro. Não à toa, 98% das 43 mil mortes anuais por abortamento no mundo ocorrem nos países em que o procedimento é considerado crime e é, por consequência, realizado de modo inseguro, sem as condições necessárias.

No Brasil, o aborto é permitido pelo Código Penal em duas situações: em caso de estupro e quando há risco de morte para a gestante. A partir de 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) deixou de considerar crime o abortamento em casos de anomalias fetais graves e incompatíveis com a vida extrauterina.

Em 2013, foi sancionada a lei que obriga os hospitais do SUS a prestar atendimento emergencial, integral e interdisciplinar às vítimas de violência sexual. Apesar de não mencionar a palavra ‘aborto’, a lei garante os cuidados das lesões físicas, o amparo social e psicológico, a profilaxia de doenças sexualmente transmissíveis e da gravidez, entre outros direitos. Em último caso, a mulher pode interromper a gravidez forçada.

A realidade, no entanto, não é bem assim. Nem todos os hospitais garantem acesso a serviços de saúde voltados às vítimas de estupro, e poucos oferecem o abortamento seguro, realizado em condições de higiene e segurança e por equipe de saúde, nos casos previstos na lei.

Em momento em que tramita na Câmara dos Deputados projeto de lei que visa a descriminalização do aborto, como garantir o abortamento legal e seguro nos casos previstos pela lei se os serviços de saúde do país sequer estão preparados para atender as vítimas de violência sexual?

Esse parece ser o desafio da maioria dos serviços de saúde e dos governos, que falham ao deixar a vítima de crime tão bárbaro à mercê da própria sorte.

Diante disso, o Centro Acadêmico Hugo Simas (CAHS), o Centro Acadêmico de Ciências Sociais (CACS), o Diretório Acadêmico Nilo Cairo (DANC) e o Diretório Central das Estudantes e dos Estudantes da UFPR apresentam à comunidade o evento Aborto Legal: um debate multidisciplinar, para que possamos, nas mais diversas áreas realizar um debate a respeito do tema.

Sugestões

Post Evento janeiro
Post de Evento
Vai ser publicado um Edital sobre ……
Sextas na pós debate mundo digital, fake news e práticas curriculares
O projeto “Sextas na pós: conversas com professores(as)”, promovido pelos Programas de Pós-Graduação...
Jornada marca dez anos de políticas públicas de educação ambiental no Paraná
O Centro de Educação Ambiental e Preservação do Patrimônio (CEAPP), parceria entre a Universidade Federal...